domingo, 17 de novembro de 2019

O voto estrangeiro

XUXU Estimativa dos votos sumidos das eleições locais e regionais VERDE Votos registrados nos pleitos locais e regionais LARANJA: votos federais, estaduais / camerais menos o mínimo de eleitores individuais 
AZUL
: eleitores individuais mínimo nos pleitos federais, estaduais e das câmaras estaduais 


Os votos de imigrantes e suas contribuições às campanhas do partido Libertário hoje são a maior fonte de medo da cleptocracia entrincheirada nos EUA. (link) Tão logo apareceu a soldada havaiana para disputar a presidência com os petistas e parasitas que hoje dominam o partido democrata, a candidata derrotada em 2016 começou a balbuciar que a Tulsi Gabbard estaria "tramando candidatura com terceiro partido". (link) Isso é medo de perder o poder de coagir e assaltar com impunidade--medo que a cleptocracia inteira está sentindo!

A derrotada pronunciou "terceiro" no mesmo tom em que partidário do klã pronuncia "terceiro mundo"!  Os democratas no voto popular tiveram 2,9 milhões de votos a mais que os republicanos, só que o partido libertário ganhou 4 milhões de votos na eleição presidencial e mais 3 milhões e tantos nos pleitos menos espalhafatosos. Nosso voto presidencial foi 40% acima da diferença entre os dois partidos cleptocratas do século 19. 

Aliás, o minguante partido "verde" que hoje representa o comunismo, anarquismo, socialismo (e os russos, segundo Hillary) tornou-se na votação de 2016 o odiado 1%! Apenas o partido libertário possui eleitores o suficiente para que seus votos de sangria derrubem os piores candidatos da cleptocracia. ISSO é o que sempre, no passado, mudou as leis dos EUA. 




Quer saber mais sobre como os votos de sangria dados aos pequenos partidos antigamente traziam leis cruéis? Como hoje os votos libertários se transformam em poderosa alavanca para mudar as leis e defender a ordem econômica? Leia A Lei Seca o O Crash, baratinho no Amazon em formato Kindle que até com celular você lê direitinho.



Blog americano...



sábado, 16 de novembro de 2019

Republicanos v. Antifa



Nunca gostei de republicanos ou democratas pelo mesmo motivo que nunca gostei de nacionalsocialismo ou comunismo. Li os programas e manifestos de todos os 4 tipos de partidos, e todos falam a mesma coisa com pequenas variações. Mas qualquer um percebe rapidinho que apesar de serem assaltantes e assassinos, os republicanos e democratas (e até mesmo os demais saqueadores) de vez em quando falam algo que não é mentira ao descrever a concorrência. Os antigos comunistas, seu filme queimado, hoje se apelicam anarquistas e arremedam libertários para atrair má fama ao partido. Queriam grafitar a convenção do partido de Ancapistan! Os saqueadores não são muito espertos. 

A melhor maneira de pesquisar os republicanos é ler o que os democratas (inclusive partido verde e CPUSA) dizem nos seus programas sobre eles. E vice versa. Há mais de 30 anos peço a todos que ouçam com cuidado o que os candidatos da cleptocracia dizem acerca dos seus adversários na mesma cleptocracia entrincheirada. Basta isso para querer votar no candidato libertário. Só que os comunas, manjados, perdem nas eleições democraticas. Além disso, travestidos de democratas trouxeram tamanha fedentina ao velho partido democrata que ali só resta candidato caô caô. 


Antifaschistischer, aliás, é gíria da velha Alemanha "Democrática" comunista (link). O seu muro de Berlim com arame farpado, franco-atiradores era por eles descrito como Antifascista!


MURO ALEMÃO DE PROTEÇÃO ANTIFASCISTA, 1986 
Em julho o senador republicano Ted Cruz, eleito pelos texanos, Pediu um anteprojeto de lei federal para declarar Antifa um bando de terroristas. Citou exemplos, a maioria sendo os agentes da Migra sendo magoados pelos "bullies" do antifa. Os dois partidos da cleptocracia fazem essas leis. Os verdes e comunistas, que dizem ser contra, são a favor de ditadura totalitária tão ruim quanto dos governos dos quais os indocumentados fogem. Segue o texto que implementaria a resolução: 

(1) solicita que os grupos e organizações de todo o país que atuam sob a bandeira de Antifa sejam designados organizações terroristas domésticas; condena inequivocamente as ações violentas de grupos da Antifa como atos inaceitáveis para qualquer pessoa nos Estados Unidos; frisa a necessidade da comunicação pacífica das diversas idéias nos Estados Unidos; exorta aos grupos ou organizações nos Estados Unidos a expressarem suas opiniões sem violência ou ameaças a saúde, segurança ou bem-estar das outras pessoas, grupos ou agentes da lei nos Estados Unidos; e exorta o governo federal a redobrar seus esforços, valendo-se de todos os meios disponíveis e apropriados, para combater o espraiar de todas as formas de terrorismo doméstico, inclusive terrorismo de supremacistas arianos.


Na época do Haight Ashbury e da oposição ao bombardeio aos vietnamitas, pululavam bandos de comunistas mal-disfarçados. O Youth International Party (link) só instigava asneiras que traziam sujeira pra cima de todos os jovens. Os Weathermen também agiam com ameaças, só que com mais sutileza. Certa vez vez ajudaram o libertário Timothy Leary a escapar da prisão e fugir do país--a única boa ação da qual me lembro. (link)

Mas tudo isso ocorreu antes de existir partido libertário.  Naquela época, após o assassinato do Kennedy, só existiam partidos fascistas e comunistas nos EUA. Não havia alternativa senão ir embora ou encarar a coação destes parasitas agressivos.  O partido Libertário formou-se em 1971 e apareceu com programa de 2542 palavras--isso faz 47 anos. Já mudou milhares de leis e elegeu centenas de candidatos.

Hoje quem quer aumentar a liberdade, isto é, reduzir a coação nos EUA, Canadá e Inglaterra, Uruguai, Argentina, Espanha, Ucrânia, Rússia e México, vota no partido Libertário. Quem já sentiu na carne as duas situações reconhece o valor do partido que transforma seu voto em melhorias nas leis mesmo quando não elege o candidatoIsso é democracia. 


Quer saber mais sobre como os votos de sangria dados aos pequenos partidos antigamente traziam leis cruéis? Como hoje os votos libertários se transformam em poderosa alavanca para mudar as leis e defender a ordem econômica? Leia A Lei Seca o O Crash, baratinho no Amazon em formato Kindle que até com celular você lê direitinho.



Blog americano...

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Ayn Rand, 1929


Ayn Rand se casou em 1929 e presenciou o Crash e a grande depressão que engoliu o país. Colocou na boca do sósia de Rodolfo Alfonso Raffaello Pierre Filibert Guglielmi di Valentina d'Antonguella, o seu herói Francisco Domingo Carlos Andres Sebastian d'Anconia, o discurso sobre o dinheiro. Até há pouco, ninguém explicou melhor o Crash e a Depressão que os coletivistas asseveram ter ocorrido por falta de coletivismo e/ou mudança na sobretaxa de importação do açúcar. 

Só Ayn Rand e Aldous Huxley escreveram sobre os eventos, e em peças teatrais--A noite de 16 de janeiro--data na qual a Lei Seca constitucional vigorou em 1920, e "Now More than Ever" em que Huxley defende magnata especulador Clarence Hatry como Ayn defendeu Ivar Kreuger, o "Rei dos Phósforos" da Swedish Match, possibilitadora do aquecimento nada global da época. Ambos foram acuados como bode expiatório e portador da culpa pelo crash. 

Mas a lei baixada a cassetete em 16 de janeiro de 1920 evoluiu. Em 1927 ganhou como co-adjuvante o IR que entrara na Constituição logo antes da 18ª Emenda. Quem mexesse com cerveja ou cachaça teria que enfrentar o Tesouro e o Bureau da Receita federal, graças à jovem procuradora federal Mabel Willebrandt. Logo antes da posse da "Grande Esperança" dos abstemiosos, Herbert Hoover, a Lei de Jones alterou a lei seca, impondo 5 anos de trabalho forçado e multa no valor de 14 kg de ouro. Com essas mudanças, tudo mudou de figura, fato que Willebrandt explicou em seriado sindicalizado em 20 jornais, dando início à queda da bolsa no começo de setembro de 1929. O volume de dinheiro envolvido naquele mercado negro era bem maior que o orçamento do governo federal da época.

Meu livroA Lei Seca e O Crash, em formato celular = Kindle no Amazon, acompanha tintim por tintim os eventos relevantes da época, dando uma explicação lógica, jurídica e financeira do mecanismo do colapso. Esse mecanismo é fácil de entender e bate com os fatos da realidade. É a primeira abordagem objetivista ou libertária do pano de fundo de A Revolta de Atlas/Quem É John Galt. Só não entende quem não quer saber. --Libertariantranslator.com Amigra.us


domingo, 10 de novembro de 2019

Partido anarquista típico, 1892

Original com secessão de Mato Grosso (link)
Deu no jornal australiano na mesma folha em que Mato Grosso votou pela secessão, seis meses antes de um partido comunista disfarçado de "People's Party"ganhar 9% do voto nas eleições americanas.  No recorte, anarquistas na Espanha entregaram um irmão que queria explodir o parlamento, e caubóis americanos travam tiroteio disputando pasto na terra-de-ninguém. Esse pedacinho de jornal exemplifica o defeito fatal de toda e qualquer teoria anarquista--antes mesmo de Weber formular uma definição objetiva da palavra "governo": 

Governo, s.m.: comunidade humana que (com sucesso) reivindica o monopólio sobre o uso o legítimo da força física dentro de determinado território. (Weber, 1919)

Os ingredientes são 1) sucesso/êxito, na 2) restrição forçosa da agressão dentro de 3) fronteiras. 

De um lado o jornal relata que a polícia de Madrid decifrou que o complô que visava explodir o parlamento, o palácio e outros prédios fora armação do líder anarquista Manoz, dedurado pelos coleguinhas talvez para evitar o sucesso anterior dos correligionários em Xérèz, comemorado em capa de revista. (link)


Todo partido anarquista/comuna dá nisso

Do outro lado o caso dos boiadeiros seguindo a fórmula anarquista de concorrer no uso da agressão disputando pastos sem-dono que queriam ocupar num MST. Até xerife foi chamado, mas dos 46 mortos, 18 foram os homens do xerife. Mas não faz 3 dias que um americano blogueiro explicou que "pra ele" anarquismo seria algo maravilhoso, nada a ver, etc... igualzinho comunista depois de qualquer dos milhares de massacres de hecatombes bolcheviques e comunistas na Rússia, China, Vietnã, Hungria... onde quer que as pessoas associam bombas anarquistas com coisa boa. Libertário não erra nisso; infiltrador sim. 

Essa charge do infeliz desprezado poderia der de 1968!
O partido libertário, apesar de ser alvo de infiltração dessas lombrigas, jamais foi nem hoje é anarquista. Queremos que os anarquistas formem seu próprio partido, disputando liderança a tapas e navalhadas até não sobrar um. Estes néscios nos assediam feito ex-namorado contra quem a mocinha--cansada de ver os chifres do rejeitado espiando pela janela--chama a polícia municipal. O nosso executivo resolveu no voto. Quem quisesse chamar a conferência Libertária programada para maio de 2020 de Ancapistan comprava votos a $1 cada. Um infiltrador comprou o grosso dessa votação de orário mas o vencedor foi TANSTAAFL, There Ain't No Such Thing As A Free Lunch (Nunquam prandium liberum). "Almoço grátis é quimera" é antônimo do queijo de graça que comunista anarquista espera achar na ratoeira da ditadura! 



Voltando ao papel de fã e tradutor, o título original do romance de Heinlein era "The Moon is a Harsh School-mistress" ou seja, professora que impõe disciplina com colher-de-pau, e não "amante". A editora encurtou o título e Paulo Sandroni caiu na armadilha que resultou. (link) E capa em espanhol apresenta o mesmo erro! Não acho esse livro em português, até mesmo porquê na época Virginia, a esposa de Robert A Heinlein, estudava russo e Robert aproveitou para colocar sotaque e sintaxe de russo no inglês do protagonista Manuel Garcia. 

Esse livro existe em espanhol, e um dia "Luna: a professora ríspida" ou "Aprendendo e vivendo" aparecerá em português. Ah... tem anarquista e objetivista no elenco do romance de Heinlein, mas estes ajudam votando e não atrapalhando a formação do governo democrático da Luna Independente!


Por falar em livros...


Compre este livro na Amazon

Na Amazon:  A Lei Seca e o Crash. Todo brasileiro entende rapidinho o mecanismo desta crise financeira de 1929. Com isso dá para entender as de 1893, 1907, 1987, 2008 e os Flash Crashes de 2010 e 2015.

Blog americano...



quinta-feira, 7 de novembro de 2019

Antes só que mal acompanhado


Clareza brasileira

A realidade em 3D muda com o tempo e é complexa. Vale a pena simplificar com modelos e aproximações, mas mantendo a clareza e honestidade. 

Na realidade política, os totalitários e libertários entendem que a liberdade é a ausência da coação iniciada. Quanto mais uma, menos da outra, ou, das duas, uma. O libertariansmo procura converger no total (1-agressão), ou seja, quanto menos agressão, melhor. O anarquismo/comunismo e nazifascismo almejam (1-liberdade). Para simplificar essas gradientes vale substituir + ou -, a favor ou contra e resulta da proposta uma linha horizontal onde numa ponta a agressão é minimizada e na outra ela é maximizada. É assim que os intelectuais objetivistas e socialistas encaram a coisa. 

Mas o povão num entende assim. Papas e pastores, Kant e Compte convenceram que tudo é opinião, ninguém pode saber nada, e a lógica é falsa, pois se todos os homens fossem mortais, o Minino Jesus também o seria. A única generalização válida aos olhos deles é a que apaga as distinções em nome da igualdade. Mas até mesmo essa rejeição da objetividade exime eventuais distinções que lisonjeiam o altruísmo. No universo altruísta, apenas a liberdade objetiva não é admitida, nem cogitada. O diagrama de antes de 1972 fica assim



Nolan com altruísmo mas sem realidade objetiva ou LP.org
Se tudo (menos a negação da objetividade e afirmação do altruísmo) é opinião, os objetivistas e libertários estão errados e tanto vale dividir a coação ou deixá-la inteira. Altruísta só não admite é tentar minimizar a agressão ou maximizar a liberdade. O gráfico de Nolan original força quem odeia a objetividade a cometer o crime ideológico de imaginar que a liberdade seria a ausência da coação agressiva.  ISSO é crimidéia orwelliano, pois suscita questionamento que coloca em tela a definição objetiva dos direitos da pessoa individual. Foi o que o Partido Libertário fez abrindo a quarta categoria que rejeita a agressão sem se preocupar com os temores, receios, sofismas, cismas, racionalizações e desculpas esfarrapadas para ameaçar a vida alheia por causa da sua própria covardia. 

No esquema sem objetividade, a opinião altruísta dos conservadores obscurantistas anula pretensos direitos de hippies, gays, mulheres e afins de ter folhas, escolher amante e controlar a própria reprodução. Concordando com essa lógica, os altruístas da corrente anarquista/comunista afirmam que o altruísmo justifica a agressão contra os religiosos e agiotas das bolsas e bancos (que enganam otário quase sem agredir). Se duvidar explicam que os fascistas dos papas e imames são impostores, egoístas travestidos de altruísta! Isso então volta ao esquema da linha horizontal, da esquerdireita Hitler-Stalin--tudo menos o programa do partido libertário, quod erat demonstratum


Ponta direita da "linha" horizontal unidemencional. 

Rejeitando a linha horizontal admite duas linhas ortogonais que descrevem as quatro principais correntes políticas. As três correntes altruístas, conservador/fascista, progressista/socialista e totalitários-anarquistas-comuno-fascistas preferem a linha horizontal que vai de Marx e Stalin até Hitler e Jesus sem duvidar que o altruísmo justifica a agressão. Como sempre, os libertários-liberais-objetivistas estão na minoria. Pois antes minoritário que mal-acompanhado!

Mas peraí! Só as maiorias conseguem eleger políticos que por sua vez mudam as leis, verdade? 

Mentira. O imposto de renda entrou nas leis americanas sem antes constar do programa republicano ou democrata. Bastou um partido semi-comunista ganhar 9% do voto em 1892 (entrou em 1894 e foi revogado em 1895, mas voltou em 1913). O partido da Proibição conseguiu injetar Lei Seca na constituição depois de ganhar 1,4% do voto em 11 pleitos presidenciais (foi revogada em 1933). O partido libertário convenceu o supremo a liberar o aborto com menos de 4 mil votos em 1972. Milton Friedman reparou nessa alavancagem que amplia o efeito legiferante dos partidos de poucos votos. 

Em 2016 contamos 4 milhões de votos e em 2018 ganhamos 16 milhões de votos. Sempre que um fascista perde para comunista (ou vice-versa) e repara que o nosso voto foi maior que a diferença, o partido desse começa a mudar o programa e seus políticos mudam as leis. O gráfico de substituição da cleptocracia pelo libertarianismo em proporção de votos é assim: 


Basta ter partido libertário e votar nele



Compre este livro na Amazon

Na Amazon:  A Lei Seca e o Crash. Todo brasileiro entende rapidinho o mecanismo desta crise financeira de 1929. Com isso dá para entender as de 1893, 1907, 1987, 2008 e os Flash Crashes de 2010 e 2015.

Blog americano...








segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Retirantes na fronteira


Desde o dia em que estrangeiros sauditas sequestraram 4 aviões cheios de passageiros para derrubar as torres gêmeas, tentar destruir o Pentágono e as Câmaras do congresso, os EUA adotaram uma espécie de vassourinha do Jânio para varrer dali todas as pessoas indocumentadas. Tradutores iam diariamente para San Antonio explicitar os procedimentos de 160 deportações. Em 2003 metade desses eram brasileiros, na maioria retirantes basicamente iletrados, aliciados para furar a fronteira e trabalhar talvez na colheita de notas de 50 dólares que esperavam que crescessem em arbustos, não se sabe. Três dias por semana a 80 peão dá 240 deportações semanais ou aproximadamente 20 mil deportados por ano.

Enfim, a diáspora que fugiu do Brasil quando o governo Bush CIA quebrou todas as economias da América do Sul (exceto as da Colômbia e Venezuela) tinha acumulado povo ali, e os jihadistas saracenos foram a gota d'água. De estrangeiro bastavam os comunistas retirantes dos escombros da antiga URSS, dispostos a transformar os EUA numa versão mais perfeita do socialismo altruísta. Afinal, bastou o colapso do império comunista para provar que aquilo não fora "verdadeiro" socialismo, da mesma forma que a derrota da Alemanha provou que o nacionalsocialismo não fora socialismo "de verdade". Só que esses zelotes viam com bons olhos a importação de infelizes facilmente logrados. A deportação dos não-empregáveis foi interpretada como algo reacionário.

A opinião dos comunas pouco importava, até que no segundo mandato do Bush Jr, este passou milhões em verba para encher o governo de crentes fanáticos. Armados para exorcismo das folhas de planta que na época eram a encarnação do Satanás com chifre, coxas peludas e cascos fendidos, estes se atiraram na cruzada. Confiscaram dezenas de milhares de casas, carros, navios, aviões--exatamente como de 1987 a 1992--e ficaram surpresos quando os títulos lastreados nas hipotecas das casas confiscadas viraram pó, como em 1987. Os fascistas reaças perderam duas eleições seguidas e os comunistas vitoriosos importaram homens-bomba e retirantes iletrados dos paraísos trabalhistas.

A alfândega e os meganhas do ICE contam com 22,5 bilhões de dólares anuais para comprar arame farpado, jipes, caveirões, radares, microfones, sensores laser, dados de satélites, algemas, tornozeleiras, meganhas ex-expedicionários e racistas e cães armados e encouraçados para farejar otário cruzando fronteira de penetra. É lógico então que presos, tentam apelar pra asilo. Inventam risco de morte por causa de ex-marido ciumento, cabo de puliça corrupto, sogra com espingarda, traficante mal-pago e afins, dizendo que esses pés-rapados são competentes para achá-los e matá-los do Iapoque ao Chui, mas trocentos meganhas gringos com R$100 milhões anuais pra gastar em arrastão de nordestinos e capiaus, nunquinha. 

Todo brasileiro que tomar uma cerveja e pegar no volante de carro estacionado, que é acusado de bater na mulher, que parece ser chegado em folha de planta do Satanás ou que recebeu uma merreca qualquer sem declarar no IRPF é deportado, mesmo tendo green card. Se passou um ano e um dia, não adianta pedir asilo pois perdeu o prazo.

Resultado: o atual presidente anda construindo muro e mandou os juízes recusarem asilo a tantos quanto pedem asilo lá sem antes ter procurado asilo no México, Venezuela, etc. É esse o resultado de tantas versões desencontradas de lorotas mal-contadas.

Quem quiser ler a tradução do formulário de asilo dos EUA, me mande comprovante de doação para o partido libertário dos EUA, estado ou comarca, ou da compra do meu livro A Lei Seca e O Crash que eu providencio. Não caia nas lorotas de agiotas ou colhedores de notas de U$50 crescendo em arbustos.



Compre este livro na Amazon

A Lei Seca e o Crash. Está à venda na Amazon por vintão. O original, Prohibition and the Crash, está lá em inglês. Depois de tanto mexer, traduzir e gravar, resolvi colocar a tradução no mercado do Kindle como uma espécie de boi de piranha. Afinal, todo brasileiro entende rapidinho o mecanismo desta crise financeira. Basta revelar o que ocorreu sem inventar mentiras. 


Blog americano...




sábado, 2 de novembro de 2019

Surubas econazistas v. fascistas


O digladiar no congresso americano está ficando educacional. Essa camiseta representa uma síntese dos motivos suicidas pelos quais o partido Democrata perde. Isso além de sexo, suruba, sedução, chantagem, e perda de cargo. 

Health Care: uma enorme burocracia governamental entrincheirada que ajuda a matar as pessoas pela incompetência e inanição--sem falar nos telemarqueteiros ligando dezenas vezes por dia. Resregulamentar a medicina? Jamais!
Voting Rights: dar o voto a mendigos esmolambados, mas Libertário? Jamais!

Economic Justice: comunismo saqueador, como no resto das américas.
Climate Crisis: quem não consegue converter ºC em ºF acredita que uma linha horizontal significa tendência de aumento. 
Public Education: escolas do governo
Immigration Reform: importação de homens-bomba e retirantes analfabetos
Gun Violence Prevention: só os meganhas com impunidade teríam armas
Checks & Balances & Tolerance: é piada. Censura e briga de foice por causa de cargos e verba

Nesse mesmo congresso uma deputada federal pediu as contas antes de ser expulsa por surubas e orgias com funcionária. (Lembra do Bill Clinton? vestido azul?) A regra que a expulsaria, proibindo dar beijo grego nas estagiárias, ela mesma votou! Olha a camiseta azul da sorridente "vítima" dessa sedução...


Então pra quem acha que o atual governo tupi eleito por voto coagido e subsidiado mais parece uma novela mexicana das 6, relaxe. Brasília não fica devendo nada ao atual governo anti-libertário dos EUA. Ali só falta mesmo palhaço de circo e jogador de futebol. Socialista, fascista e comunista os EUA têm pra dar e vender. (link)

Quando soube da chantagem da oposição e esfaqueamento dessa deputada libertina pelos correligionários, pensei em aliciar a moça para o Partido Libertário. Festinha pelada com a amiguinha, bagulho, nada disso nos incomoda. Mas proibir a energia elétrica e as armas que a Constituição nos garante, e ainda botar meganha armado pra nos assaltar nessas outras conspirações saqueadoras? Tudo isso ela defende. Pensando bem, assim não. Pra destruir a economia e esmagar o que resta da liberdade, bastam os republicanos proibicionistas e comunistas travestidos no partido do Kennedy. 


Compre este livro na Amazon

Na Amazon: a tradução de Prohibition and the Crash. Está à venda na Amazon por vintão sob título de A Lei Seca e o Crash. O original, Prohibition and the Crash, registrei faz 21 anos. Depois de tanto mexer, traduzir e gravar, resolvi colocar a tradução no mercado do Kindle como uma espécie de boi de piranha. Afinal, todo brasileiro entende rapidinho o mecanismo desta crise financeira. 

Blog americano...