sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Tamanho é documento


"Grandes mentes discutem idéias, as mentes comuns comentam eventos, e as mentes mesquinhas falam das pessoas". --Henry Buckle

Exemplos de ideias:

"As coisas no nosso país funcionam apesar do governo, e não pela sua ajuda." --Will Rogers



"A maré enchente ergue todos os barcos." --John F. Kennedy

"Para uma definição prática, se as pessoas concordarem que ninguém, e nenhum grupo tem o direito de iniciar o uso da força contra uma pessoa humana (e isto inclui a expropriação forçosa dos seus bens), que ninguém possui tal direito em nenhuma hipótese ou ocasião--bastaria isso. Isto alcançaria uma utopia perfeita na terra; isto compreenderia todo o código de ética que necessitamos. --Ayn Rand, 1947.

Libertarismo? "Eu gosto!" --Donald Trump, 2015.**

"Nunca entendi por que é egoísmo querer ficar com o dinheiro que você granjeou, mas não é egoísta querer pegar no dinheiro alheio." --Thomas Sowell

"Não há como você provar uma negação, mas é possível dar o troco e colocar o adversário na mesma situação." --Scott Adams

Exemplos de eventos: 


"Primeiro eles te ignoram, logo mangam de ti, logo brigam contigo, e logo você ganha." --Mahatma Gandhi

"O mercado não está funcionando." --George Waffen Bush, 2008.*** 

"Eu não tive relações sexuais com aquela mulher." --Bill Clinton, 1999.

Exemplos de pessoas: 

"Não sou ladrão!" --Richard M. Nixon, 1973

"Não sou ladrão!" --Phillip K. Dick, 1977

"Nolo contendere." --Spiro Agnew, 1973


Precisando de traduções jurídicas ou juramentadas, entre em contato
Meu outro blog é em inglês


** Gostar de uma idéia e praticar são duas coisas distintas
*** Isso no colapso provocado pelos confiscos anti-mercado de folhas.













sábado, 9 de fevereiro de 2019

Benvindo à Arizona



Como os puliças de Glendale no Estado de Arizona tratam os seus concidadãos. 

https://www.kshb.com/news/national/abuse-of-force-body-camera-video-shows-man-tased-11-times-by-officers-in-arizona

Imagine como tratariam um estrangeiro ou moreninho...

Esses aí, e os cobradores de impostos, a cleptocracia nem sonha em desarmar. 


quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Democratas e republicanos do tempo do KKK

Um desses dois é o atual governador Democrata do Estado de Virgínia--cujos 4 milhões de eleitores cleptocratas equivalem ao voto nacional dado pelos eleitores individualistas do partido Libertário. Essa foto do estudante de medicina Northam no anuário de 1984 revela o sentimento Dixiecrat desse político. Diferentemente da cartilha dos machos defensores do coletivismo racial, esse governador não quer que homens armados interfiram com as decisões femininas acerca da reprodução e controle da natalidade. Os republicanos caíram de pau em cima por causa disso, e não pelas fantasias de 35 anos atrás.

George Wallace foi o governador Democrata de Alabama que pessoalmente barrou com o próprio corpo a matrícula de um estudante moreninho à faculdade antes mesmo de seus semelhantes darem um jeito no Presidente Kennedy. O apregoador do coletivismo racial conseguiu votos o suficiente para arrebanhar os votos eleitorais de quatro estados sulistas, fato que facilitou a eleição do Republicano Richard Nixon. Wallace, afinal, dividiu os democratas.

Wallace foi o único candidato 1972 a insistir na coação armada das mulheres. Isso ocorreu na mesma eleição em que o partido Libertário insistiu em liberar as moças da coação política nos três primeiros meses da gravidez. O Supremo Tribunal copiou a proposta libertária e acrescentou uma semana a mais de proteção aos direitos individuais da mulher. 

Desde essa decisão feminista, os republicanos apresentaram 7 Propostas de Emenda Constitucional mais parecidas com as normas da Romênia comunista ou do Vaticano. Como na Itália e em Roma, todas essas propostas foram rejeitadas. O palhaço Northam, correligionário do Cunha no sentido de que só renuncia o cargo algemado, é a vergonha atual do Democratic Party. Só que agora ele é atacado por defender uma lei mais canadense do que sulista. O Canadá não permite legislar no sentido de ferir os direitos individuais das mulheres

Dixie se refere às antigas notas de dez/dix na Louisiana, onde em algumas paróquias ainda se fala francês. Louisiana foi o primeiro Estado rebelde reconquistado pela União e obrigado a de novo repassar as sobretaxas alfandegárias. Os Dixiecrats odeiam todos que não são brancos ou que manifestam pouco entusiasmo pela coação de mulheres.

Mas as leis de Comstock, que proibiram até falar em diafragma, camisinha ou capas de CDs da Marisa Monte--com penas de 10 anos de escravidão acorrentada--foram invenção do partido Republicano. Essas leis proibicionistas, assinadas pelo Presidente Grant, foram impostas logo após a Guerra da Secessão, antes mesmo de os eleitores nos Estados democratas ganharem novamente a legitimidade de votar. Mulher votar naquela época? Nem pensar!

E qual foi a origem desse fanatismo masculino que obriga a mulher a reproduzir sob força da coação? Foi em parte a carta do Presidente Republicano Theodore Roosevelt que em 1903 taxou o individualismo libertário feminino de egoísmo! Quando Adolf Hitler tinha apenas 13 anos, Theodore Roosevelt escreveu sobre o Suicídio Racial


Só que o homem ou a mulher que procura evitar se casar, e tem coração tão frio que desconhece a paixão, e cérebro superficial e egoísta a ponto de não gostar de produzir filhos, é com efeito pessoa criminosa contra a raça, e merece o desprezo contumaz de toda pessoa sã. 

Dá para entender como um cidadão chega a preferir a morte a colaborar com esse tipo de cleptocracia podre? 

tradutoramericano.com.br



Não perca libertariantranslator.com em inglês

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Unidades para expatriotas



George Orwell contrastava a maneira inglesa de medir com o que se utilizava de dimensões na Europa. No começo do romance cujo título inicial foi "O último homem da Europa", Orwell abre "1984" provocando dissonância cognitiva nos leitores ingleses. 


Era um dia frio e ensolarado de abril, e os relógios batiam treze horas.

Noutra cena, O velho proletário num boteco da vizinhança reclama do tamanho da caneca métrica de cerveja--isso na tradução exemplar de Wilson Velloso: 

--Meio litro não chega. Não satisfais.

A diferença entre quartas de galão (ou 2 pintas inglesas ou americanas) e litros dá meros 3% a 5%, quantia tão pífia que--para efeitos de interpretação--dá para ignorar. No romance de Orwell, o ancião londrino se sentia desfalcado em 60 mililitros, ou dois goles de cerveja, por caneca. 

A proporção entre milhas e quilômetros é tão próxima à proporção de Fibonacci que o intérprete pode considerá-la como isso mesmo e se valer das sua peculiaridades aritméticas correspondentes. Para decorar, à raiz quadrada de 5 você soma um e divide o resultado por dois. Isso dá aproximadamente 1,62. O inverso disso é o mesmo número menos 1. Assim uma milha é 1,62 km e um quilômetro dá 0,62 milhas. Mamão com açúcar.

Metros quadrados também dão para simplificar, pois cada um desses dá quase 11 pés quadrados--faltando apenas 2%, ou uma parte em 50. Essa é uma área que você cobre com a mão aberta.  Assim, mil metros quadrados dá algo como 11.000 pés quadrados (multiplicar por onze é moleza). E para converter 3 mil pés quadrados você tira um zero e diminui em 10%. Isso daria 300 menos 30 ou 270 metros quadrados. O número mais exato é 279, mas essa diferença--calculada no contexto de uma interpretação simultânea--é irrisória. A conversão se resume em mudar o decimal uma casa à esquerda ou direita e somando ou diminuindo correspondentes 10%.

Nas discussões de calor, frio e temperatura, para cada mudança de nove graus na escala termométrica Farenheit o correspondente na escala Célsius ou em graus centígrados é de cinco graus. Isso dividindo o número de ºF entre gelo e agua fervendo (212-32º) pelo número de ºC entre essas mesmas temperaturas (100º). Pode conferir. 

Na prática, em vez de tentar manipular uma fórmula chata o intérprete decora alguns equivalentes. 
Conforto: 72ºF vai direto pela mnemônica de escrever sete vezes o nº 2, e inserir o decimal. Assim: 72ºF = 22,22222ºC. Ou seja, 22ºC=72ºF
Calor: 40ºC é 105ºF
Frescor: 16ºC = 61ºF (outra mnemônica conveniente e simples de decorar)
Gelo a zero ºC é 32ºF, e água fervendo a 100

Se um canadense se sente confortável a 72°F mas fica suando aos 90°F (18°F, ou dois noves mais quente), isso equivale a se deliciar nos 22°C  versus suar feito porco aos 33°C (dois cincos mais quente).

No frio extremo, vale lembrar que -40ºC = -40ºF

E no calor extremo, falando de estrelas etc. todos usam graus Célsius ou Kelvin, sem necessidade de converter. 

Esses macetes também servem para dispensar chatos com desenvoltura. Sempre que um econazista te abordar com previsões apocalípticas de aquecimento global, basta perguntar quantos graus Célsius equivalem a 81ºF, ou qual é a definição de energia em termos das suas unidades de medida. 





Não perca o meu blog americano...

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Os EUA exportam o caos



O seu voto pelo partido libertário nos EUA poderá derrubar um ou outro dos candidatos da Cleptocracia entrincheirada. Essa possibilidade de perda de cargo obriga os dois candidatos desse cartel a ler com cuidado a nossa proposta oposicionista aos eleitores. Uma vez que os republicanos e democratas são quase idênticos, os nossos 3% muitas vezes rendem mais votos do que a diferença entre os dois. Veja a proposta:  


3.3 Assuntos internacionais

A política externa dos EUA deve assegurar que os EUA estejam em paz com o mundo. A nossa política externa primará pela defesa contra eventuais atentados oriundos do exterior, de forma a aumentar as chances da paz evitando as intrigas alheias. Acabaríamos com a atual política intervencionista do governo americano, inclusive toda a ajuda militar e econômica no estrangeiro. Reconhecemos o direito universal de resistir à tirania, da legítima defesa e da preservação dos direitos de cada pessoa. Condenamos o uso da força — e sobretudo do terrorismo — contra os inocentes, independentemente de tais atos serem cometidos por governos ou por grupos políticos ou revolucionários.

O nosso diretor-presidente, Nicholas Sarwark, explica


O nosso partido quer que os EUA abandonem sua exportação do intervencionismo proibicionista que provoca caos e violência na América Latina, induzindo tantos inocentes a procurar asilo na sua fronteira com o México.
A repressão antidrogas é o que mais incentiva o crime organizado na região. Com os lucros provenientes deste mercado negro, as facções e cartéis ameaçam a segurança pública e a estabilidade das nações como a Guatemala, Honduras e El Salvador. Esta guerra proibicionista com efeito subsidia a violência e o desrespeito às leis, tal como fazia no tempo do Al Capone
Mediante propina e pressão política, o governo em Washington induz os governos da América Latina a aumentar sempre a coação nua e a repressão dos direitos civis. Este ciclo vicioso faz com que as pessoas inocentes se sintam ameaçadas pelas facções e pelos seus próprios governos--sem diminuir o contrabando de drogas ilícitas para os EUA.  
Esta dinâmica piora com as intervenções americanas na região, aumentando a instabilidade e minando o processo de criação das instituições na América Central e do Sul. Países que não apresentam nenhuma ameaça real aos EUA já sofreram golpes, guerra civil e até intervenção militar direta. 
Nós libertários rejeitamos essas maneiras nocivas de tratar às relações inter-americanas. Conforme constatamos no caso da maconha, só abandonando o proibicionismo à mão armada é possível desarticular o mercado negro que afunila o dinheiro às facções. Uma política externa de paz e não da intervenção possibilitaria aos governos da América Central e do Sul tratarem de conquistar a confiança dos seus povos em vez da aprovação de Washington. 
Os libertários apoiam os direitos dos migrantes pacíficos no sentido de procurar uma vida melhor nos EUA. Mas também reconhecemos que atos praticados pelo governo americano, liderado pelos partidos republicano e democrata, criaram e pioraram as condições intoleráveis que afugentam muitos dos que buscam asilo. Em vez de construir muros, os EUA deviam parar de exportar o caos para a América Latina.
Tradução de Henrique Phillips. Se achar erro, comente...


Visite o meu blog americano...

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Proposta de Emenda Constitucional

3 anos após a decisão libertária do Supremo, novas ameaças

É necessário influir os que estão dentro da política para se mudar as leis. Para tanto cria-se um partido libertário. Isso é fundamental. Com essa alavanca da concorrência dá para ameaça-los com a perda de cargo, o que pra eles, parasitas, é a única coisa que importa. Esta é a alavanca que funciona para abolir as leis ruins--mesmo sem eleger o seu candidato. Basta possibilitar ao eleitor derrubar dos deles o pior candidato.

Mas isso já foi feito. Nos EUA  Nixon bedelhou na economia que afundava sob o peso da invasão do Vietnã e a alta nos preços do petróleo cobrados pelo cartel da OPEP. Baixou decretos congelando preços e salários para nenhum ditador italiano botar defeito. Com isso, o partido Libertário formou para oferecer ao país uma alternativa aos socialismos comuno-fascistas. 

Funcionou. Imediatamente as mulheres, mesmo grávidas, se tornaram donas do próprio corpo. O alistamento forçado paralizou e os soldados voltaram do Vietnã. Até o crescimento do quadro federal parou. 

O que deu errado é que Nixon, velhaco e ladino, mudou a lei da Receita de modo a subsidiar os velhos partidos entrincheirados--golpe que foi copiado por outros governos nada liberais. Em 1987 o livro Atlas Shrugged, que inspirou o partido libertário, foi traduzido para português e apareceu nas livrarias como Quem É John Galt?

Ali apareceu o PEC da liberdade econômica que tanto irritou o partido do Nixon. 
"Congress shall make no law abridging the freedom of production and trade . . ." 
"Vedado ao Congress aprovar leis que restrinjam a liberdade da produção e do comércio. . ."  
Hoje o título em português é A Revolta de Atlas, mas as reformas ali sugeridas foram impossibilitadas pela criação de toda uma Constituição antiliberal na qual: 
LXX - o mandado de segurança pode ser impetrado por a) partido político com representação no congresso nacional... e
§ Os partidos políticos têm "direito" a recursos do fundo partidário e acesso gratuito ao rádio e à televisão na forma da lei. 
Isto é: apadrinhar os partidos entrincheirados--importando a fórmula do fundo partidário do Richard NixonInteressante seria lavrar uma PEC e tirar da Constituição de 88 toda e qualquer menção de partidos políticos. 

Os republicanos nos EUA--furiosos com o sucesso do Partido Libertário em legalizar o aborto--lavraram várias propostas de emenda constitucional para forçar as mulheres a reproduzir a contragosto. Isso começou imediatamente após a proteção do controle de natalidade pelo Supremo em 1973. Na Irlanda uma dessas emendas aprovou e só agora foi derrubada, após 35 anos de crueldade e coação ordenada por Roma.  

As mulheres contra-atacaram, propondo desde 1923 uma emenda dos direitos iguais. Essa passou no Congresso em 1972, sendo ratificada por 35 Estados, só que necessitava de 38 para completar os 2/3. Os socialistas religiosos contra-contra-atacaram, propondo sete emendas para que homens controlem a reprodução das mulheres. 
A Equal Rights Amendment diz:
É vedado aos Estados ou União negar ou cercear a igualdade jurídica dos direitos individuais com base no sexo. 
“Equality of rights under the law shall not be denied or abridged by the United States or any State on account of sex.” 
Acontece que hoje, em pleno 2019, as eleitoras americanas estão revitalizando essa PEC da igualdade dos direitos.  O Estado de Delaware acaba de aprovar emenda de semelhante teor por 35 x 6 votos, e há quem aposte no Senado também. Virgínia também estuda tal proposta, que conta com o apoio de 80% da população e 20,000 assinaturas a favor. O fato de Nevada e Illinois terem ratificado a PEC nacional aumenta o otimismo. 

Os argumentos contra são conjugados no futuro:
1. Os direitos iguais dificultariam o trabalho de forçar as mulheres a reproduzir.
2. A popularidade do alistamento forçado também sofreria.
3. O controle do Vaticano vetando as leis de saúde pública enfraqueceria.

Ficou claro?

Para traduções com fé pública nos EUA, Canadá e Brasil: Speakwrite
Visite também o meu blog americano




sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Poderes de emergência

No filme A Grande Aposta, a economia americana entra em colapso por causa de inadimplências nas hipotecas que subjazem componentes de derivativos podres--gatos vendidos por lebre. Mas podres por que? A causa que minou esses valores de hipotecas teria sido, por acaso, a expropriação sem indenização? 

O que acontecia na época era que o governo proibicionista do Bush Filho lançava mão dos mesmos confiscos de bens que derrubaram a economia em 1987, quando Bush Pai e Reagan achavam que folhas de planta transformavam as pessoas em comunistas. Essa teoria de possessão neo-satânica aflorou de novo na posse do Bush Filho, só que numa variante menos centralizada. Uma das primeiras Ordens Presidenciais do Bush II foi criar a burocracia OFBCI, o Gabinete de Iniciativas Comunitárias Lastreadas na Fé. No caso, "a" fé é a mesma favorecida pelo programa Nacional Socialista da Alemanha, só que com alcance e abrangência internacional! 

Como na Alemanha de 1933, essa burocracia gerava alcaguetes e caçadores de hereges que se espraiaram em leque procurando casas suspeitas de abrigarem plantações de cânhamo indiano. Os hippies--não mais só judeus--se tornaram alvos deste novo cristianismo positivo. Os governos americanos que continuaram crescendo mesmo após a entrada no ar do Partido Libertário--governos estaduais e municipais--formaram a vanguarda subsidiada pelos dados financeiros e de grampos telefônicos arrebanhados pelas agências federais de repressão e espionagem. Seus confiscos aumentaram até desencadear a crise, e acelerou ultrapassando os danos de arrombadores--vazando a fronteira dos EUA--pois o OFBCI possui ala internacional para exportar o proibicionismo com seus confiscos destruidores das bolsas e dos sistemas de crédito bancário.  



Foram confiscando lares comprados ou mesmo alugados por pessoas eliminadas da possibilidade de ter emprego e carreira pelos testes de urina--testes obrigatórios por lei desde o governo do Bush Pai e Reagan. Qualquer raiz de planta no quintal já dava pretexto para confiscos, pela expropriação sem indenização do ponto 17 do antigo programa nazista lavrado por Hitler em 1920. Só que com a crise, surgiu a possibilidade de o povo descobrir o que se passava e reagir. A exportação da crise destruidora de economias permitiu que os americanos em posse dos fatos lucrassem apostando contra as bolsas de valores do resto do mundo. Teria sido isso que financiou a recuperação americana enquanto a crise grassava global

A reação acuada quando deu colapso foi a mesma da Alemanha em 1933: uma Lei de Concessão de Plenos Poderes. Essa Lei Habilitante para Sanar a Aflição do Povo e da Nação dos nazistas existe, graças aos governos Nixon-Ford e Bush Filho, em versão Americana. Preste atenção nos detalhes de 22 de agosto de 1974 conforme adequadas em 30 de agosto de 2007, na véspera do colapso generalizado: 


"O presidente terá poderes para confisco de bens, para organizar e controlar os meios da produção, expropriar commodities, destacar forças militares no estrangeiro, instituir a lei marcial, agarrar e controlar todos os meios de transporte e de comunicação, regulamentar a operação da iniciativa privada, restringir a circulação de pessoas, e de diversas formas controlar as vidas dos cidadãos dos EUA. Ao Congresso caberão poderes adicionais de alterar, rescindir ou suspender a operação da referida delegação de autoridade."
Selo da Alemanha comunista comemorando a parede protetiva antifascista
O novo governo republicano, eleito graças ao fanatismo apocalíptico dos democratas contra a energia elétrica, agora resuscita este monstro de Frankenstein no sentido de levantar $5 bilhões para construir o Muro Amerikaner cobrado pelo programa do partido republicano em 2016. O seu voto pelo partido libertário, ou mesmo uma pequena doação, mudaria essa tendência perigosa. 

Ficou clara essa comparação de fatos históricos





Se tem erro, pode comentar e corrigir. Minha provedora canadense de nomes para sites é a Hover 

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Síndrome de Socialista Chateado


A constituição de 1988 foi formulada para impossibilitar o Partido Libertário logo após a tradução (1987) de Atlas Shrugged de Ayn Rand como "Quem É John Galt?" Existiriam quatro possibilidades: 

1. A favor dos direitos individuais e da liberdade econômica;
2. A favor dos direitos individuais mas não da liberdade econômica;
3. Contra os direitos individuais mas a favor da liberdade econômica;
4. Contra os direitos individuais e contra a liberdade econômica.

Dessas 4 possibilidades, a primeira opção, libertarismo, não é mais opção

Uma das outras alternativas foi escolhida por eleitores forçados a comparecer às urnas. Cedo ou tarde descobriremos se a alternativa que restou foi uma "economia mista" (2 ou 3) ou totalitarismo (4). Aliás, a Rússia soviética descrevia o seu regime nas páginas de Pravda como uma "economia mista"



Sobre a inauguração, o presidente eleito em país onde o voto é optativo e partido libertário concorre nas urnas como oposição, escreveu: 
"HAPPY NEW YEAR TO EVERYONE, INCLUDING THE HATERS AND THE FAKE NEWS MEDIA! 2019 WILL BE A FANTASTIC YEAR FOR THOSE NOT SUFFERING FROM TRUMP DERANGEMENT SYNDROME."
Olha como a Globo traduziu a declaração daquele Presidente:

"Será um ano fantástico para aqueles que não sofrem da síndrome de desequilíbrio de Trump [termo usado por apoiadores do republicano para designar críticos do governo]".

Eu sou da oposição, sempre voto contra os dois partidos da atual Cleptocracia, mas reconheço de longe o Síndrome de Socialista Chateado. É graças também a esses saqueadores altruístas que os eleitores não possuem nenhuma opção que não o comunismo light, nacionalsocialismo light, ou totalitarismo integral que une a economia mista coercitiva num só caldeirão de canibalismo. 

Isso ocorreu em 1917 e repetiu-se alhures em 1933, vingando até maio de 1945. Sem falar no Terror da França ou as guerras religiosas da Idade das Trevas, a mesma ideologia operou na Cambódia de 1975 a 78, na Guyana em 1978 e nas torres gêmeas. Quem não entende que o altruísmo requer esse tipo de iniciação de agressão, colabora no sentido de repetir as façanhas. 

Em outras notícias, os nacionalsocialistas gringos estão muito irritados por causa da coleção online de fotos e detalhes dos meganhas que agarram e deportam estrangeiros multados por infrações de estacionamento e afins.  

Se recado dado ficou singelo e claro, imagine a singeleza das traduções que podemos produzir para a sua utilidade prática.
Meu outro blog é tradutorlibertário.
Minha provedora canadense de nomes para sites é a Hover 

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Aprenda Inglês Político

Baixe o mp3 original para melhorar o seu inglês político

Scott Adams é o cartunista vegetariano que--por ser ultraliberal e apoiador dos direitos individuais das mulheres--é odiado pelos fascistas. Pelo fato de ele não amar os impostos, não odiar a geração e transmissão da energia elétrica, e não odiar  o presidente que gosta do libertarismo, ele é odiado pelos comunistas.  Mas o Dilbert que ele desenha tem enorme audiência. O cartunista é um sucesso internacional. Ele agora tem novo hobby detectando mentiras políticas. 

Esse cartunista fez previsões sobre quem ganharia a eleição. Todos os operadores de enquetes, artistas de cinema, políticos apocalípticos, oradores socialistas--até os bicheiros e bookmakers--apostaram dinheiro que ele estava errado. De repente o Trump derrotou o partido que odeia a energia elétrica e tudo mudou de aspecto. 

Scott Adams estudou hipnotismo em San Francisco e começou a explicar como as técnicas do hipnotismo são utilizadas para persuadir, induzir, convencer as multidões. A reação foi intensa e ele achou tão divertido questionar o circo da linha reta--a que procura colocar você entre o Hitler e Stalin em questões econômicas e científicas--que começou um blog ou podcast falado e interativo no Periscope


As previsões modeladas sempre apresentam erros enormes. 
Aí está a apresentação de um economista formado e hipnotista amador--que exerce a profissão de chargista--quanto à credibilidade do aquecimento global. A mídia saqueadora e golpista, que mostra tele-catch, se recusa a confrontar em debate aberto os cientistas que vendem versus desprezam as teorias apocalípticas do aquecimento global. Adams quer ver um debate, e ofereceu sua casa para a filmagem de tal debate entre os pró e contra as teorias apocalíptica e descrente dos efeitos do CO2 sobre a temperatura. Vale a pena assistir, mesmo sem legendas.

Eu lecionava inglês antes da invenção do Walkman. Agora temos tocadores de mp3 e acesso a livros falados e podcasts. Só não fala sem sotaque quem não quer. 

Precisando de traduções de regulamentos ecológicos ou impostos de carbono, ou interpretação jurídica sobre esses temas, entre em contato.
Não perca o meu blog em inglês...





domingo, 30 de dezembro de 2018

Fanáticos proibicionistas americanos

Nos EUA um homem recentemente foi agarrado, arrastado para um hospital onde os médicos foram intimados a desmaiá-lo com entorpecentes passar-lhe um tubo no reto--isso como parte da Guerra aos Direitos da Pessoa Humana. Isso ocorreu agora em Syracuse, New York. Esse tipo de estupro afeta o turismo e resulta em enormes multas e danos morais pagos às vítimas. Veja...


Em tela um caso anterior, que também não revelou flagrante e repercutiu mal para os meganhas invasores. É nisso que dá perder a chance de votar pelo partido libertário e--mediante os votos de sangria--abolir essas leis nocivas. 

E para que servem essas leis? Na jurisprudência americana a função do governo antes era de defender os direitos da pessoa humana contra a agressão. A partir de 1913, época da militância saqueadora a favor da Lei Seca e do IR copiado do manifesto comunista, tudo mudou. A mão armada da lei passou a servir para matar alguns e aterrorizar os sobreviventes.

As leis aprovadas pela cleptocracia saqueadora servem, sim, de pretexto para matar alguns. Mas para que matar as pessoas, sobretudo os inocentes que não ferem os direitos alheios? São justamente esses que se imaginam dono do nariz. Quanto mais a dura lex, summa lex suntuária mata desses cidadãos, mais os sobreviventes obedecem sem questionar os editos, mandados, decretos, códigos, arrestos, atos, impostos e as leis, instruções normativas, determinações, ordenanças, multas e outras sentenças que proíbem folhas de planta ou pensamentos desaprovados. 

Havia povo manso, engaiolado assim nos EUA, mas o Partido Liberal em 1931 cobrou abolição da lei seca e criticou o comunismo. No ano seguinte os democratas copiaram essa parte do programa liberal e os republicanos foram enxotados do poder por 25 anos. A Organização Feminina para a Reforma da Proibição Nacional, que contava com a ajuda militante da ex-republicana Pauline Sabin, facilitou a revogação da Emenda da Lei Seca. 

Os primeiros republicanos a voltar ao poder depois de Herbert Hoover ter presidido milhares de assassinatos com esquadrões volantes--e a destruição da economia--foram Eisenhower e seu vice, Richard Nixon. Nixon, outro soi disant Quaker como o Herbert Hoover, resuscitou com vontade essa tradição de matar e mandar matar. 

Como em 1932, o partido de Nixon amargou a derrota das leis que forçavam as mulheres a reproduzir a contragosto pela obra do pequeno Partido Libertário. O programa deste partido formulou a sentença do Supremo que derrubou as leis que coagiam apenas médicos e mulheres. (A façanha se repetiu na Irlanda uns meses atrás, quando a Emenda antifeminina foi revogada).

Se essa explicação da proctologia ilícita praticada pelos mandatários do nacionalsocialismo proibicionista esclareceu a origem dessas atitudes pitorescas, pegue conosco um orçamento para a sua próxima tradução jurídica ou judicial. 


Intérprete, escritor




Para traduções jurídicas e judiciais, Speakwrite
Visite meu blog em inglês.