sábado, 13 de outubro de 2018

Máquinas de votários

Newton Silva, chargista, visionário...

"Dallas, got a soft machine, Houston, too close to New Orleans..." --Grateful Dead, Trucking

Soft machine nos EUA significa conluio de políticos e cabos eleitorais que captura cargos políticos e explora as possibilidades de ganho por esse meio. Já voting machine é o aparelho predileto da soft machine. Só que o mecanismo já é manjado e está caindo em desfavor.

No Texas, várias das 200 comarcas voltaram a usar as cédulas de papel. Muito mais difícil trocar os votos das pessoas com papel. Eu por exemplo descobri que acabaram com a obrigatoriedade de assinar a cédula na candidatura do Carter. Imediatamente comecei a assinar as minhas. Assim, numa recontagem, eu poderia confessar que assinei a cédula, a ausência da qual da urna seria prova de que as cédulas foram trocadas. Já... com caixas eletrônicas controláveis pela CIA e NSA, como vou confiar nos resultados? 

Repare que na cleptocracia texana, verificável ali significa ANTES da contagem. O que interessa a mim é depois, saber COMO o meu voto foi contado. Nós libertários temos orgulho do nosso voto e nada a esconder. Se os nossos votos sumirem, rapidinho vamos descobrir isso e levantar a lebre. 

E nas eleições nacionais... ninguém realmente acredita. Quando Nixon perdeu para o Kennedy, os republicanos gritaram fraude! Todo revela quão importantes os votos dados ao partido Libertário.


Leia sobre o voto texano no original...
Quem vota libertário diz não à coação, sim aos direitos da mulher, sim ao direito de autodefesa, não aos impostos, não ao fascismo, não aos outros socialismos, e sim à descriminalização como existe em Portugal e no Canadá. 

Necessitando de tradutores acreditados, certificados e juramentados para traduções dotadas de fé pública, procure pela Speakwrite, linguistas orwellianos. E-mail: braziliantranslated@gmail.com Mnemônica: juramentada.us
Outro blog: Libertariantranslator