quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Programa dos Nacionalsocialistas, 6-10

Selo comemorando os 25 anos do Paredão Antifascista

Dos 25 pontos do programa do partido trabalhista nacionalsocialista alemão escritos na mão do ex-soldado Hitler, seguem as demandas de nºs 6 a 10. 
Sou tradutor libertário apresentando fatos históricos para que as pessoas avaliem o perigo inerente ao autoritarismo altruísta--mascarado de esquerda ou de direita, tanto faz.


6. O direito de fixar a orientação e as leis do Estado é reservado unicamente aos cidadãos.  Logo, instamos que as funções públicas, a nível nacional, estadual ou local serão exercidas por cidadãos. 
Somos contrários ao viciante sistema parlamentar de preencher cargos visando as necessidades do partido e sem se importar com questões de caráter ou capacidade.

7. O Estado deve se comprometer a assegurar a atividade produtiva e o sustento, sobretudo dos cidadãos.  Não havendo condições de sustentar toda a população, os estrangeiros (não cidadãos) devem ser deportados.

8. Cumpre prevenir novas imigrações de estrangeiros.  Todos os não-alemães que entraram na Alemanha desde 2 de Agosto de 1914, serão obrigados desde já a deixar o Reich.

9. Todos os cidadãos terão direitos e deveres comedidos.

10. O primeiro dever do cidadão é trabalhar, física ou intelectualmente.  A atividade do indivíduo não deve prejudicar os interesses da coletividade, mas integrar-se dentro deste arcabouço geral para o bem de todos

APONTAMENTOS do tradutor.

Observe que os pontos 5 e 6 são tipicamente adotados pelos governos de economia mista--aqueles que fundem elementos do socialismo coercitivo com a proteção de alguns direitos individuais. Nessa mesma mistura de sentidos o 6º substitui "públicas" por governamentais e equivoca a distinção entre os direitos das pessoas individuais e os poderes das corporações armadas, acima ocultados pelo termo "dever". Partido entra como corporação amarrada ao conceito dos cargos remunerados do Estado Político, remuneração egoísta, porém perdoável dos políticos e funcionários corretos. 

O 7º ponto amplia o dever coercitivo, transformando-o em dívida cobrável quiçá pelo trabalho forçado. O 8º reforça essa proposta da expulsão e exclusão preservadas hoje nas leis que os países socialistas e de economia mista aplicam aos estrangeiros ao cobrar conformidade com o coletivismo. A data referida é a do tratado de aliança entre a Alemanha e Turquia, já declarada a guerra entre a Rússia e Alemanha. Soldados--inclusive das colônias africanas dos vitoriosos--ocupavam partes da Alemanha enquanto Hitler lavrava esse programa


No 9º, a imposição de deveres inventados é equiparado ao reconhecimento dos direitos.  partido se preocupa com o sustento e não os direitos individuais que possibilitam ao cidadão autosustentar-se. Esse erro fundamental é repetido ainda hoje.


No 10º ponto o dever mencionado no 7º já assume contornos de trabalho forçado, e parece copiado em party do ponto 8 do manifesto comunista (trabalho obrigatório para todos). O indivíduo autônomo é subjugado aos "interesses" da coletividade e obrigado a seguir os ditames do altruísmo. A cada passo o programa nacionalsocialista mina a objetividade dos conceitos fundamentais sobre o que é e para que serve um governo, o significado da liberdade e a definição de um direito. Esses problemas ainda confundem a Europa, mesmo depois de 98 anos. 


A seguir, os pontos 11 a 15, e vale comparar a minha adaptação com o original...


Para traduções que esclarecem leis, tratados, documentos e regulamentos internacionais, procure uma tradutora juramentada ou um certified translator

Blog americano...