terça-feira, 25 de setembro de 2018

O programa nacionalsocialista de 1920, 1-5


A Universidade do Texas publicou a plataforma do partido de Hitler em inglês (Lane & Rupp, tradutoras) em 1978. 

Naquele documento qualquer um vê que os nacionalsocialistas, como 95% dos partidos atuais, acreditam que a liberdade é divisível. As facções místicas querem que a coação reprima os prazeres e imponha crendices. As facções laicas apostam na coação para tomar das pessoas os seus pertences. 

Essas duas hostes compuseram o texto nazifascista. Sem mais, aqui vão os primeiros 5 dos 25 pontos divulgados em 1920.



O programa do Partido Trabalhista Nacional Socialista da Alemanha (NSDAP) 24 de fevereiro de 1920

O programa do Partido Trabalhista Nacional Socialista da Alemanha se dirige à sua época. Uma vez cumpridas as metas do programa, a liderança se recusa a estabelecer novas metas como artifício para fomento de descontentamento nas massas no intuito de prolongar a existência do partido.

1. Insistimos na constituição de uma Grande Alemanha, que reúna todos os alemães, com base no direito dos povos à autodeterminação.

2. Cobramos a isonomia do povo alemão com as demais nações e a revogação dos Tratados de paz de Versalhes e de Saint Germain.

3. Exigimos terras e colônias para o sustento do nosso povo e para assentar o nosso excedente de população.

4. Só a nossa gente pode ter cidadania.  Só quem é de sangue alemão, não obstando seu culto religioso, pode ser nosso companheiro.  Nenhum judeu, portanto, pode ser companheiro do povo.

5. Os não cidadãos viverão na Alemanha como visitantes, regulamentados pela lei como estrangeiros

O programa começa declarando pelo coletivismo cultural e racial popular, se distanciando na largada dos políticos profissionais que apinhavam na cleptocracia existente ao final da Primeira Grande Guerra. Repare que quem possui direitos no Ponto 1 são as coletividades, e não as pessoas humanas individuais.

A Grande Guerra foi travada entre os produtores de entorpecentes de papoula após a proibição destes produtos pela China em 1911 e a formulação na Haia da convenção anti-ópio. Perder esta guerra resultou na responsabilização da Alemanha (e Hungria e Turquia) pelos prejuízos da guerra, cobrando reparações. Os tratados em tela cobravam essa restituição pela agressão iniciada pelos alemães em 1914 contra a Sérvia. O Tratado de Versalhes no seu Artigo 23, regulamenta os entorpecentes de papoula nos termos da Convenção da Haia.

Anticoncepcionais eram proibidos em muitos lugares, sobretudo nos EUA onde os adeptos da eugenia executavam leis do Comstock e censura desde 1873. Só que a população global crescia e as equações previam o desastre malthusiano. Esse partido alemão adotou a postura do Presidente Theodore Roosevelt de fomentar a reprodução nacional, pois o contrário seria o "suicídio da raça". Resultou um sauve qui peut de coletivismo racial não só na Alemanha. 

O Ponto 4 hoje é controverso, e em 1920 o DNA era desconhecido. Muitos acreditavam que as coletividades mais brancas seriam mais virtuosas do que as demais, e que o egoísmo era algo ruim, uma característica tida como hereditária e não resultante de ensinamentos ou condicionamento. 

Resultou que o Ponto 5, dependendo do Ponto 4, destacava alemão companheiro do povo, como algo diferente dos judeus, dos estrangeiros. 

Continua no próximo fascículo...




Nada compara com tradutores para colmatar as diferenças culturais e filosóficas entre os povos do planeta. 
Blog em inglês...