domingo, 2 de dezembro de 2018

Ditadura Evangélica, 1933


Com a ajuda da Moratória contra as dívidas de guerra empurrada pelo presidente quaker americano, Herbert Hoover, Hitler assumiu o poder. O governo americano proibia a cerveja, ópio e derivados, vinho e destilados, mas não maconha. A erva era pouco conhecida, seu uso médico se resumindo em cataplasmas para calos nos pés.

Mas o imposto de renda fora copiado do Manifesto Comunista e importado para a constituição dos EUA devido a um partido populista conseguir 9% do voto em 1892. O IR que resultou--e derrubou a economia--foi derrubado pelo Supremo. Derrubado não apenas por causa da crise, e sim porque todo e qualquer imposto de capitação era expressamente proibido pela constituição americana! 
Seção 9...
4.         Não será lançada capitação ou outra forma de imposto direto, a não ser na proporção do recenseamento da população segundo as regras anteriormente estabelecidas. 

Ou seja, os Estados--e não pessoas físicas--legalmente pagam impostos federais, e só se admitia imposto individual no sentido obstruir a importação de vítimas da escravidão. Mas a tendência parasitária persistiu e instituiu o novo escravagismo da 16ª Emenda mediante o peso legiferante dos poucos votos de sangria do Partido Popular. A 18ª emenda proibindo toda bebida alcoólica foi aprovada pelos mesmos eleitores supersticiosos. Juntas, estas duas emendas--aliadas ao fanatismo--destruíram a economia dos EUA. 

No meio desse colapso, Herbert Hoover em 1931 declarou aquela Moratória dos Cérebros. Em 1933 Adolf Hitler foi empossado e apresentou com este discurso a Lei que desligou a constituição Weimar da Alemanha: 


Pela sua decisão de realizar a faxina política e moral da nossa vida pública, o Governo está instituindo e assegurando as condições para uma vida interior e religiosa verdadeiramente profunda. As vantagens para o indivíduo que porventura possam se derivar da transigência com organizações atéias nem de longe se comparam com as consequências que se revelam na destruição dos nossos valores religiosos e éticos compartilhados. 
O Governo tratará as demais denominações com justiça objetiva e imparcial. Mas não pode tolerar que se permita que a adesão a determinada denominação ou determinada raça seja explorada como uma isenção de todas as obrigações legais compartilhadas, ou como cheque em branco pela impunidade, tampouco pela tolerância de crimes. [O Governo nacional permitirá e garantirá às denominações cristãs o gozo da sua merecida influência nas escolas e na educação.] E se atinará na sincera colaboração entre Igreja e Estado.
A luta contra a ideologia materialista e a organização da genuína comunidade do povo (Volksgemeinschaft) tanto atende aos interesses da nação Alemã quanto à nossa fé cristã. ...O Governo nacional, divisando no cristianismo o alicerce inabalável da moral e ética do nosso povo, reconhece como de suprema importância cultivar e manter as mais amistosas relações com a Santa Sé. ...Os direitos das igrejas não serão cerceados; tampouco mudará sua posição em relação ao Estado político

Leia esse discurso no alemão original lado a lado com a tradução inglesa, ou noutra versão em português. Não estou inventando nada disso. Salta aos olhos que a ideologia nacionalsocialista é altruísta, religiosa e coletivista--muito parecida com a ideologia comunista exceto na dose de obscurantismo místico. As atuais esquerda festiva e direita confessional acreditam na destruição de pelo menos a metade dos direitos da pessoa humana. A versão alemã do socialismo comuno-fascista não exerceu essa coação apenas pela metade. 


Se ficou clara esta ilustração da natureza do fascismo, imagine com que clareza um tradutor experiente pode transmitir a sua mensagem ou interpretar para você uma lei do exterior.





Visite meu blog em inglês.










Nenhum comentário:

Postar um comentário