quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Proposta de Emenda Constitucional

3 anos após a decisão libertária do Supremo, novas ameaças

É necessário influir os que estão dentro da política para se mudar as leis. Para tanto cria-se um partido libertário. Isso é fundamental. Com essa alavanca da concorrência dá para ameaça-los com a perda de cargo, o que pra eles, parasitas, é a única coisa que importa. Esta é a alavanca que funciona para abolir as leis ruins--mesmo sem eleger o seu candidato. Basta possibilitar ao eleitor derrubar dos deles o pior candidato.

Mas isso já foi feito. Nos EUA  Nixon bedelhou na economia que afundava sob o peso da invasão do Vietnã e a alta nos preços do petróleo cobrados pelo cartel da OPEP. Baixou decretos congelando preços e salários para nenhum ditador italiano botar defeito. Com isso, o partido Libertário formou para oferecer ao país uma alternativa aos socialismos comuno-fascistas. 

Funcionou. Imediatamente as mulheres, mesmo grávidas, se tornaram donas do próprio corpo. O alistamento forçado paralizou e os soldados voltaram do Vietnã. Até o crescimento do quadro federal parou. 

O que deu errado é que Nixon, velhaco e ladino, mudou a lei da Receita de modo a subsidiar os velhos partidos entrincheirados--golpe que foi copiado por outros governos nada liberais. Em 1987 o livro Atlas Shrugged, que inspirou o partido libertário, foi traduzido para português e apareceu nas livrarias como Quem É John Galt?

Ali apareceu o PEC da liberdade econômica que tanto irritou o partido do Nixon. 
"Congress shall make no law abridging the freedom of production and trade . . ." 
"Vedado ao Congress aprovar leis que restrinjam a liberdade da produção e do comércio. . ."  
Hoje o título em português é A Revolta de Atlas, mas as reformas ali sugeridas foram impossibilitadas pela criação de toda uma Constituição antiliberal na qual: 
LXX - o mandado de segurança pode ser impetrado por a) partido político com representação no congresso nacional... e
§ Os partidos políticos têm "direito" a recursos do fundo partidário e acesso gratuito ao rádio e à televisão na forma da lei. 
Isto é: apadrinhar os partidos entrincheirados--importando a fórmula do fundo partidário do Richard NixonInteressante seria lavrar uma PEC e tirar da Constituição de 88 toda e qualquer menção de partidos políticos. 

Os republicanos nos EUA--furiosos com o sucesso do Partido Libertário em legalizar o aborto--lavraram várias propostas de emenda constitucional para forçar as mulheres a reproduzir a contragosto. Isso começou imediatamente após a proteção do controle de natalidade pelo Supremo em 1973. Na Irlanda uma dessas emendas aprovou e só agora foi derrubada, após 35 anos de crueldade e coação ordenada por Roma.  

As mulheres contra-atacaram, propondo desde 1923 uma emenda dos direitos iguais. Essa passou no Congresso em 1972, sendo ratificada por 35 Estados, só que necessitava de 38 para completar os 2/3. Os socialistas religiosos contra-contra-atacaram, propondo sete emendas para que homens controlem a reprodução das mulheres. 
A Equal Rights Amendment diz:
É vedado aos Estados ou União negar ou cercear a igualdade jurídica dos direitos individuais com base no sexo. 
“Equality of rights under the law shall not be denied or abridged by the United States or any State on account of sex.” 
Acontece que hoje, em pleno 2019, as eleitoras americanas estão revitalizando essa PEC da igualdade dos direitos.  O Estado de Delaware acaba de aprovar emenda de semelhante teor por 35 x 6 votos, e há quem aposte no Senado também. Virgínia também estuda tal proposta, que conta com o apoio de 80% da população e 20,000 assinaturas a favor. O fato de Nevada e Illinois terem ratificado a PEC nacional aumenta o otimismo. 

Os argumentos contra são conjugados no futuro:
1. Os direitos iguais dificultariam o trabalho de forçar as mulheres a reproduzir.
2. A popularidade do alistamento forçado também sofreria.
3. O controle do Vaticano vetando as leis de saúde pública enfraqueceria.

Ficou claro?

Para traduções com fé pública nos EUA, Canadá e Brasil: Speakwrite
Visite também o meu blog americano




sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Poderes de emergência

No filme A Grande Aposta, a economia americana entra em colapso por causa de inadimplências nas hipotecas que subjazem componentes de derivativos podres--gatos vendidos por lebre. Mas podres por que? A causa que minou esses valores de hipotecas teria sido, por acaso, a expropriação sem indenização? 

O que acontecia na época era que o governo proibicionista do Bush Filho lançava mão dos mesmos confiscos de bens que derrubaram a economia em 1987, quando Bush Pai e Reagan achavam que folhas de planta transformavam as pessoas em comunistas. Essa teoria de possessão neo-satânica aflorou de novo na posse do Bush Filho, só que numa variante menos centralizada. Uma das primeiras Ordens Presidenciais do Bush II foi criar a burocracia OFBCI, o Gabinete de Iniciativas Comunitárias Lastreadas na Fé. No caso, "a" fé é a mesma favorecida pelo programa Nacional Socialista da Alemanha, só que com alcance e abrangência internacional! 

Como na Alemanha de 1933, essa burocracia gerava alcaguetes e caçadores de hereges que se espraiaram em leque procurando casas suspeitas de abrigarem plantações de cânhamo indiano. Os hippies--não mais só judeus--se tornaram alvos deste novo cristianismo positivo. Os governos americanos que continuaram crescendo mesmo após a entrada no ar do Partido Libertário--governos estaduais e municipais--formaram a vanguarda subsidiada pelos dados financeiros e de grampos telefônicos arrebanhados pelas agências federais de repressão e espionagem. Seus confiscos aumentaram até desencadear a crise, e acelerou ultrapassando os danos de arrombadores--vazando a fronteira dos EUA--pois o OFBCI possui ala internacional para exportar o proibicionismo com seus confiscos destruidores das bolsas e dos sistemas de crédito bancário.  



Foram confiscando lares comprados ou mesmo alugados por pessoas eliminadas da possibilidade de ter emprego e carreira pelos testes de urina--testes obrigatórios por lei desde o governo do Bush Pai e Reagan. Qualquer raiz de planta no quintal já dava pretexto para confiscos, pela expropriação sem indenização do ponto 17 do antigo programa nazista lavrado por Hitler em 1920. Só que com a crise, surgiu a possibilidade de o povo descobrir o que se passava e reagir. A exportação da crise destruidora de economias permitiu que os americanos em posse dos fatos lucrassem apostando contra as bolsas de valores do resto do mundo. Teria sido isso que financiou a recuperação americana enquanto a crise grassava global

A reação acuada quando deu colapso foi a mesma da Alemanha em 1933: uma Lei de Concessão de Plenos Poderes. Essa Lei Habilitante para Sanar a Aflição do Povo e da Nação dos nazistas existe, graças aos governos Nixon-Ford e Bush Filho, em versão Americana. Preste atenção nos detalhes de 22 de agosto de 1974 conforme adequadas em 30 de agosto de 2007, na véspera do colapso generalizado: 


"O presidente terá poderes para confisco de bens, para organizar e controlar os meios da produção, expropriar commodities, destacar forças militares no estrangeiro, instituir a lei marcial, agarrar e controlar todos os meios de transporte e de comunicação, regulamentar a operação da iniciativa privada, restringir a circulação de pessoas, e de diversas formas controlar as vidas dos cidadãos dos EUA. Ao Congresso caberão poderes adicionais de alterar, rescindir ou suspender a operação da referida delegação de autoridade."
Selo da Alemanha comunista comemorando a parede protetiva antifascista
O novo governo republicano, eleito graças ao fanatismo apocalíptico dos democratas contra a energia elétrica, agora resuscita este monstro de Frankenstein no sentido de levantar $5 bilhões para construir o Muro Amerikaner cobrado pelo programa do partido republicano em 2016. O seu voto pelo partido libertário, ou mesmo uma pequena doação, mudaria essa tendência perigosa. 

Ficou clara essa comparação de fatos históricos





Se tem erro, pode comentar e corrigir. Minha provedora canadense de nomes para sites é a Hover 

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Síndrome de Socialista Chateado


A constituição de 1988 foi formulada para impossibilitar o Partido Libertário logo após a tradução (1987) de Atlas Shrugged de Ayn Rand como "Quem É John Galt?" Existiriam quatro possibilidades: 

1. A favor dos direitos individuais e da liberdade econômica;
2. A favor dos direitos individuais mas não da liberdade econômica;
3. Contra os direitos individuais mas a favor da liberdade econômica;
4. Contra os direitos individuais e contra a liberdade econômica.

Dessas 4 possibilidades, a primeira opção, libertarismo, não é mais opção

Uma das outras alternativas foi escolhida por eleitores forçados a comparecer às urnas. Cedo ou tarde descobriremos se a alternativa que restou foi uma "economia mista" (2 ou 3) ou totalitarismo (4). Aliás, a Rússia soviética descrevia o seu regime nas páginas de Pravda como uma "economia mista"



Sobre a inauguração, o presidente eleito em país onde o voto é optativo e partido libertário concorre nas urnas como oposição, escreveu: 
"HAPPY NEW YEAR TO EVERYONE, INCLUDING THE HATERS AND THE FAKE NEWS MEDIA! 2019 WILL BE A FANTASTIC YEAR FOR THOSE NOT SUFFERING FROM TRUMP DERANGEMENT SYNDROME."
Olha como a Globo traduziu a declaração daquele Presidente:

"Será um ano fantástico para aqueles que não sofrem da síndrome de desequilíbrio de Trump [termo usado por apoiadores do republicano para designar críticos do governo]".

Eu sou da oposição, sempre voto contra os dois partidos da atual Cleptocracia, mas reconheço de longe o Síndrome de Socialista Chateado. É graças também a esses saqueadores altruístas que os eleitores não possuem nenhuma opção que não o comunismo light, nacionalsocialismo light, ou totalitarismo integral que une a economia mista coercitiva num só caldeirão de canibalismo. 

Isso ocorreu em 1917 e repetiu-se alhures em 1933, vingando até maio de 1945. Sem falar no Terror da França ou as guerras religiosas da Idade das Trevas, a mesma ideologia operou na Cambódia de 1975 a 78, na Guyana em 1978 e nas torres gêmeas. Quem não entende que o altruísmo requer esse tipo de iniciação de agressão, colabora no sentido de repetir as façanhas. 

Em outras notícias, os nacionalsocialistas gringos estão muito irritados por causa da coleção online de fotos e detalhes dos meganhas que agarram e deportam estrangeiros multados por infrações de estacionamento e afins.  

Se recado dado ficou singelo e claro, imagine a singeleza das traduções que podemos produzir para a sua utilidade prática.
Meu outro blog é tradutorlibertário.
Minha provedora canadense de nomes para sites é a Hover 

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Aprenda Inglês Político

Baixe o mp3 original para melhorar o seu inglês político

Scott Adams é o cartunista vegetariano que--por ser ultraliberal e apoiador dos direitos individuais das mulheres--é odiado pelos fascistas. Pelo fato de ele não amar os impostos, não odiar a geração e transmissão da energia elétrica, e não odiar  o presidente que gosta do libertarismo, ele é odiado pelos comunistas.  Mas o Dilbert que ele desenha tem enorme audiência. O cartunista é um sucesso internacional. Ele agora tem novo hobby detectando mentiras políticas. 

Esse cartunista fez previsões sobre quem ganharia a eleição. Todos os operadores de enquetes, artistas de cinema, políticos apocalípticos, oradores socialistas--até os bicheiros e bookmakers--apostaram dinheiro que ele estava errado. De repente o Trump derrotou o partido que odeia a energia elétrica e tudo mudou de aspecto. 

Scott Adams estudou hipnotismo em San Francisco e começou a explicar como as técnicas do hipnotismo são utilizadas para persuadir, induzir, convencer as multidões. A reação foi intensa e ele achou tão divertido questionar o circo da linha reta--a que procura colocar você entre o Hitler e Stalin em questões econômicas e científicas--que começou um blog ou podcast falado e interativo no Periscope


As previsões modeladas sempre apresentam erros enormes. 
Aí está a apresentação de um economista formado e hipnotista amador--que exerce a profissão de chargista--quanto à credibilidade do aquecimento global. A mídia saqueadora e golpista, que mostra tele-catch, se recusa a confrontar em debate aberto os cientistas que vendem versus desprezam as teorias apocalípticas do aquecimento global. Adams quer ver um debate, e ofereceu sua casa para a filmagem de tal debate entre os pró e contra as teorias apocalíptica e descrente dos efeitos do CO2 sobre a temperatura. Vale a pena assistir, mesmo sem legendas.

Eu lecionava inglês antes da invenção do Walkman. Agora temos tocadores de mp3 e acesso a livros falados e podcasts. Só não fala sem sotaque quem não quer. 

Precisando de traduções de regulamentos ecológicos ou impostos de carbono, ou interpretação jurídica sobre esses temas, entre em contato.
Não perca o meu blog em inglês...





domingo, 30 de dezembro de 2018

Fanáticos proibicionistas americanos

Nos EUA um homem recentemente foi agarrado, arrastado para um hospital onde os médicos foram intimados a desmaiá-lo com entorpecentes passar-lhe um tubo no reto--isso como parte da Guerra aos Direitos da Pessoa Humana. Isso ocorreu agora em Syracuse, New York. Esse tipo de estupro afeta o turismo e resulta em enormes multas e danos morais pagos às vítimas. Veja...


Em tela um caso anterior, que também não revelou flagrante e repercutiu mal para os meganhas invasores. É nisso que dá perder a chance de votar pelo partido libertário e--mediante os votos de sangria--abolir essas leis nocivas. 

E para que servem essas leis? Na jurisprudência americana a função do governo antes era de defender os direitos da pessoa humana contra a agressão. A partir de 1913, época da militância saqueadora a favor da Lei Seca e do IR copiado do manifesto comunista, tudo mudou. A mão armada da lei passou a servir para matar alguns e aterrorizar os sobreviventes.

As leis aprovadas pela cleptocracia saqueadora servem, sim, de pretexto para matar alguns. Mas para que matar as pessoas, sobretudo os inocentes que não ferem os direitos alheios? São justamente esses que se imaginam dono do nariz. Quanto mais a dura lex, summa lex suntuária mata desses cidadãos, mais os sobreviventes obedecem sem questionar os editos, mandados, decretos, códigos, arrestos, atos, impostos e as leis, instruções normativas, determinações, ordenanças, multas e outras sentenças que proíbem folhas de planta ou pensamentos desaprovados. 

Havia povo manso, engaiolado assim nos EUA, mas o Partido Liberal em 1931 cobrou abolição da lei seca e criticou o comunismo. No ano seguinte os democratas copiaram essa parte do programa liberal e os republicanos foram enxotados do poder por 25 anos. A Organização Feminina para a Reforma da Proibição Nacional, que contava com a ajuda militante da ex-republicana Pauline Sabin, facilitou a revogação da Emenda da Lei Seca. 

Os primeiros republicanos a voltar ao poder depois de Herbert Hoover ter presidido milhares de assassinatos com esquadrões volantes--e a destruição da economia--foram Eisenhower e seu vice, Richard Nixon. Nixon, outro soi disant Quaker como o Herbert Hoover, resuscitou com vontade essa tradição de matar e mandar matar. 

Como em 1932, o partido de Nixon amargou a derrota das leis que forçavam as mulheres a reproduzir a contragosto pela obra do pequeno Partido Libertário. O programa deste partido formulou a sentença do Supremo que derrubou as leis que coagiam apenas médicos e mulheres. (A façanha se repetiu na Irlanda uns meses atrás, quando a Emenda antifeminina foi revogada).

Se essa explicação da proctologia ilícita praticada pelos mandatários do nacionalsocialismo proibicionista esclareceu a origem dessas atitudes pitorescas, pegue conosco um orçamento para a sua próxima tradução jurídica ou judicial. 


Intérprete, escritor




Para traduções jurídicas e judiciais, Speakwrite
Visite meu blog em inglês.


quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

O Apocalipse de 2018

Os ex-scientistas e seus impersonadores fizeram várias previsões apocalípticas desde 1960, quando os soviéticos produziram um teatro de revista para proibir energia e armamentos dos porcos imperialistas. Vejam como essas previsões comparam com a realidade agora que as datas desses fins-de-mundo estão chegando.


As legendas em inglês aparecem se clicar no (CC)

O locutor é um engenheiro eletricista Tony Heller, de Boulder, no Colorado. O que mais impressiona é que nenhum dos soi disant 97% dos profetas travestidos de cientista quer debater o engenheiro. A mídia saqueadora dos EUA, incluindo a FOX News--nada liberal ou libertária--se recusa a colocar desses supostos peritos e cientistas ao lado de pessoa educada que recolhe dados dos termômetros do governo para produzir gráficos sem distorção. 



O cartunista que desenha Dilbert chama atenção a este fenômeno. Afinal, assistimos olimpíada pra ver quem corre ou pula mais. Os telecatch no Octágono pululam de espectadores que pagam para assistir. Até os candidatos (saqueadores) podem debater no ar. Por que motivo não colocam ali o Zé do Apocalipse Climático para debater o Tony Heller, cada um defendendo os seus gráficos e explicando os erros do outro na tevê? 

Faz sentido isso? O assunto é sério e há controvérsias que só comparando dão para entender.

O que faz sentido são as traduções da Speakwrite. Tradutor americano e juramentada brasileira combinam para que as suas traduções transmitam sua mensagem sem distorção. Pode comparar. 

Meu blog americano é: Libertariantranslator

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Misticismo apocalíptico invade a NASA



Leia o artigo original sobre medição da temperatura
George "Waffen" Bush adicionou à Casa Branca uma burocracia da fé. Já havia na época tal infiltração na NASA (que antes mandava homens à Lua). Resultou uma aceleração da fraude de alteração das temperaturas PASSADAS para que o presente, por comparação, pareceria ter esquentado. E nem precisava de ter exagerado muito. Houve sim, aquecimento exagerado entre 1930 e 1945, seguido de esfriamento global--tanto que o Zé do Apocalipse no Washington Post previa uma Idade do Gelo em 1971 que estaria por chegar hoje se não fosse lorota e superstição. 

Veja no blog sobre mudança climática
Qualquer um inventa ou altera registros de temperatura. Difícil é mudar as temperaturas publicadas nos jornais do último século e mais difícil ainda disfarçar o aumento da neve. No Hemisfério Norte onde 8/9 da humanidade vive (com todos os seus gases industriais) a neve aumenta a cada outono e inverno. Veja esse gráfico em milhões de quilômetros quadrados de neve. 

Veja a fonte no artigo original

Há mistério então? A credibilidade da ciência subsidiada por políticos saqueadores chegou ao ponto de que tem gente que até duvida que os astronautas andaram na lua em 1969. O pior é que as superstições predadoras que servem de arma em briga de gente grande dão maus exemplos aos chinfrins armadores de golpes, roubalheira e ditaduras de Juntas nas repúblicas subdesenvolvidas. Aliás, são subdesenvolvidas justamente por causa das superstições veiculadas pelos cleptocratas.

Num desses países vitimados pela crendice em besteiraprêmio Inocente Útil vai para Bruno Blecher, jornalista da Globo. Enquanto as ruas de Paris enchem de viaturas em brasa, graças à reprise do entreguismo do governo francês frente ao nacional socialismo ecológico da Alemanha, diz Blecher que Bolsonaro "demonstrou bom senso ao voltar atrás da proposta maluca de retirada do Brasil do Acordo de Paris." Isso é elevar a superstição anti-científica a patamares jamais sonhados, nem mesmo por João de Deus. O místico safado quis apenas trepar--mas os econazistas querem bilhões em impostos sobre o ar que respiramos.


França entregue ao nacionalsocialismo

Não quero sugerir que o econazismo e o comunismo são exatamente a mesma coisa. Nos regimes comunistas o governo é deus. Já, nas ditaduras fascistas, deus é o governo

Eu só voto no partido Libertário, que é contra os impostos e a favor da liberalização da indústria--de forma a possibilitar a instalação de colônias na Lua. 







Necessita de traduções técnicas feitas por tradutores difíceis de se enganar?
Visite o meu blog americano.





domingo, 16 de dezembro de 2018

Astronauta e o Paradoxo do Aquecimento Global



Outro astronauta americano, Harrison Schmitt, andou na lua, já foi senador, e acredita na ciência. Isto é, não bota fé nas crendices econazistas que servem de pretexto para impostos, estrangulamento da produção e o retorno ao socialismo agressor. 




Ele argumenta que a nona Emenda à Carta de direitos, a saber: 
IX. A enumeração de determinados direitos na Constituição não poderá ser interpretada como negando ou coibindo outros direitos inerentes ao povo. 
torna ilegal a coação generalizada do povo americano que é contemplada pelos corifeus do fanatismo-travestido-de-ciência. Ele identifica como o problema principal: 
A crença ideológica de grande parte dos acadêmicos, no controle Nacional Socialista da Economia. ... Essa crença não se resume apenas no culto ao climatismo, e sim no controle Nacional Socialista da economia. E não podemos nos esquecer disso--de que isso é um pretexto-camuflagem para o nacionalsocialismo, independente de o nome que eles preferem dar à coisa. 
O problema não é a ocorrência natural de variações na temperatura em torno de meio grau a cada cem anos desde a Pequena Era Glacial 350 anos atrás, segundo Schmitt. 



Já ouvimos mil vezes que "97% dos cientistas" acham corretas as profecias adventistas de que a energia elétrica do ser humano irá logo cozinhar a terra. Quantos cientistas são esses? Por que não têm nomes? Para examinar a questão, nada mais é necessário do que a álgebra da segunda série.

Suponhamos que 97% dos bacharelados (ou mais) em ciência acreditam neste apocalipse. Isto quer dizer que os 31.497 cientistas que assinaram o Petition Project que circulou nas universidades em 1996 e 1997 e mais os que se manifestam hoje, juntamente com estes 49 cientistas apóstatas (veja carta abaixo) que já trabalharam na NASA, seriam os 3% que duvidam das profesias do apocalypse, como declaram nesta carta


28 de março de 2012
Ao Exmº Charles Bolden, Jr.
Administrador da NASA
Sede da NASA
Washington, D.C. 20546-0001

Caro Charlie,
Nos, cujas assinaturas seguem abaixo, pedimos com respeito que NASA e a Goddard Institute for Space Studies (GISS) deixem de incluir comentários desprovidos de provas em divulgações ao público em sites da internet. Acreditamos que as declarações feitas pela NASA e GISS, de que o gás carbônico produzido pela comunidade estaria tendo um impacto catastrófico na mudança climática global não têm fundamento, especialmente levando em consideração milhares de anos de dados empíricos. Com centenas de cientistas do clima bem conhecidos e dezenas de milhares de outros cientistas declarando publicamente sua descrença nas previsões catastróficas, sobretudo da liderança da GISS, é claro que esta ciência NÃO está estabelecida.
A insistência desenfreada de que o CO2, seria a principal causa de eventuais alterações climáticas não condiz com prática normal da NASA de fazer uma avaliação objetiva de todos os dados científicos disponíveis antes de tomar decisões ou fazer declarações públicas.
Como ex-funcionários da NASA, achamos que a defesa pela NASA de uma posição extrema, sem antes um estudo minucioso do possível impacto sobrepujante dos determinantes naturais do clima, não tem cabimento. Solicitamos que a NASA se abstenha de incluir comentários nada comprovados e desprovidos de fundamento em futuras divulgações e sites que tratam deste assunto. O que está em jogo é a reputação exemplar da NASA, dos atuais cientistas ex-funcionários e cientistas da NASA, e até mesmo a reputação da própria ciência.
Para maiores informações acerca da ciência que subjaz essa nossa preocupação, recomendamos aos senhores que entre em contato com Harrison Schmitt ou Walter Cunningham, ou outras pessoas por eles indicados.
Agradecemos a sua consideração desse nosso pedido.
Atenciosamente,

--> (Assinaturas anexadas, veja no ORIGINAL)

Isso dá 31.546 cientistas que acham besteira os pronunciamentos de sacerdotes mesmerizados com seus modelos produtores de previsões de temperatura. Se esses são os 3%, quantos cientistas seriam os 97%? 
3/100 = 31.546/x  Multiplicando os dois lados por x, 3x/100 = 31.546 e agora multiplicando os dois lados por 100: 3x = 3.154.600 e dividindo os dois lados por 3 dá: x = 1.051.533 Mais de um milhão de cientistas.
Esse número é 5 vezes o número total dos membros da American Physical Society somado aos sócios da American Chemical Society. Isso sim, salta aos olhos como muito mais absurdo do que todas as previsões furadas dos modelos. Enrico Fermi, se estivesse vivo hoje, perguntaria: Onde estão eles? Esse é o Paradoxo do Aquecimento Global

Agora vamos inverter o cálculo usando outro número verificável de cientistas interessados na questão. O astrônomo inglês de codinome 1000Frolly no Youtube rastreia os cientistas formados que assinam os relatórios subsidiados do Painel Intergovernamental--criado por políticos para subsidiar o lançamento de um imposto sobre o ar que respiramos. 

Usando na proporção o número de signatários dos pareceres do painel que culpam a humanidade pelo aquecimento que eles acham que houve, temos 20 pessoas, como os 97%, resulta que os 3% que, como Richard Feynmann*, duvidam dos experts dariam menos do que uma só pessoa formada em ciência. Numa outra estimativa, 797 dentre 1222 supostos cientistas (57%) que também seriam experts no assunto duvidam. A matemática do Zé do Apocalipse não impressiona, pois os 43% que sobraram neste exemplo não chegam à metade de 93%.

O segredo dessa tapeação e muitas outras é uma variante do apelo à autoridade. No caso, é a intimidação travestida de argumento. Em vez de repudiar o argumento em tela, ataca-se os supostos valores éticos da vítima. A fórmula geral é: "só um abutre egoísta teria coragem de defender uma liberdade dessas!" Assim evita-se a necessidade de saber somar e diminuir para ser ativista pelos impostos e regulamentos lastreados na violência da lei. Basta insinuar que os seus motivos são altruístas!

*A ciência é a sua certeza da ignorância dos peritos. --Richard Feynmann  

Para traduções técnicas que envolvem petróleo e gás, mineração ou regulamentos a estes pertinentes, procure pela Speakwrite.
Meu outro blog é Libertariantranslator