Thursday, September 13, 2018

A Greve dos Eleitores: vote nulo!

O Partido Libertário grangeou 4 milhões de votos--bem mais do que a diferença entre os saqueadores

Adam Smith defendia o mercantilismo de sobretaxas baixas que os sequazes do Karl Marx chamaram de "capitalismo". Afinal, ali a definição depende apenas da presença de ouro não radioativo e não de complicadas noções quanto aos direitos da pessoa humana. Qualquer ditador rico é chamado de "capitalista". Invade-se um continente, aniquilando os autóctones e instala-se ali uma colônia que importa produtos acabados e exporta matérias primas--tudo a preços determinados pelo poder divino de Deus em aliança com o rei da Metrópole. 



Nos anos 20 os mercantilistas ostentavam "capitalista" como orgulhoso geuzenaam. A Russia era dominada pelo culto da plebe ignara e a China continuava sendo explorada pelos europeus com armas e drogas mais modernas do que as de 1837. Os mercantilistas místicos se aliavam em ramalhetes amarrados sob nome de fascismo: el socialismo de Dios del caudillo de Dios! Já os saqueadores laicos se declararam comunistas. 

Após a inevitável guerra dessas duas hostes do altruísmo armado vieram os enforcamentos. O crime de guerra, a agressão, era para os franceses um mistério subjetivo. Se alemão o fez, foi agressão. Já comportamento idêntico pelos altruístas místicos que assaltavam o povo francês, algeriano, senegalês, mauritano, sudanês, da Côte d'ivoire e Cochin-china era simples imposto, sobretaxa, dízimo marxista e "direito" aduaneiro. Apenas uma pessoa entendia com clareza o que ocorria durante os julgamentos e enforcamentos dos criminosos da hecatombe nacionalsocialista: Ayn Rand




Seguindo o modelo do filme A Greve de outro russo de ascendência judáica, Sergei Mikhailovich Eisenstein, Ayn Rand se debruçou sobre "A Greve" da sua própria autoria. Enquanto compunha o Capítulo VII, escreveu numa carta em 1947 para sua amiga Linda Lynneberg que


“O individualismo sustenta que a pessoa humana possui direitos inalienáveis que não lhe podem ser tomados por outro, tampouco por nenhum outro número, grupo ou coletividade de pessoas. Logo, cada qual existe por direito próprio, e pelo seu próprio bem – e não pelo bem do grupo."


E ainda acrescentou


"Para uma definição prática, se os homens simplesmente concordarem que nenhum homem ou número de pessoas possui o direito de iniciar o uso da força contra algum ser humano (e isto inclui o confisco de seus bens) – que eles não têm esse direito para qualquer que seja a finalidade, não importando a ocasião – seria tudo o que necessitamos, pois isto atingiria uma perfeita utopia na terra, e incluiria toda a moral e ética que necessitamos.”

A Greve foi publicada como A Revolta de Atlas (Atlas Shrugged) e nela os produtores entram em greve para derrubar a ditadura saqueadora que escravizava o país. Esta idéia plantou a semente da greve dos eleitores na mente de David Nolan e seus colaboradores, resultando no estabelecimento do Partido Libertário como alternativa à ditadura fascista do Richard Nixon. Nixon foi deposto por ameaça de impedimento pouco depois. 


Nixon com o ditador Ceaucescu da Romênia comunista: contra as mulheres

O resultado prático na primeira eleição com participação do Partido Libertário foi que o Supremo americano copiou a proposta libertária para derrubar as leis sulistas que coagiam mulheres grávidas e médicos. Deu-se uma reação em cadeia e o governo canadense logo derrubou completamente todas essas leis. Face a essa elevação do novo partido laissez-faire com compasso moral indiscutível, as ditaduras comunistas do Velho Mundo ruíram em menos de duas décadas. 

As ditaduras obscurantistas que hoje sobrevivem usam o poder judiciário para invalidar nas eleições os candidatos e programas de partidos libertários. Desse arremedo de democracia resultou a greve dos eleitores que, insatisfeitos com os saqueadores da EsquerDireita linear, expressam o voto libertário na forma de votos nulos e em branco. O voto nulo é dado ao número de partido excluído, como "00" e o voto em branco apertando o botão BRANCO.  

Esses votos, vale dizer, são os votos dados ao partido libertário no degredo imposto pelas ideologias da agressão. Aqui são os votos da maioria! Mas quem ganha são as antigas correntes ideológicas que sobreviveram os julgamentos e enforcamentos dos agressores altruístas em Nuremberg e no Japão--julgados enquanto Ayn Rand escrevia A Revolta de Atlas

Para ser grevista da Revolta de Atlas basta votar não aos partidos saqueadores e seu afã de agressão contra os direitos individuais da pessoa humana. Para tanto não há necessidade de violência ou risco de vida. Basta se valer da única opção que resta ao eleitor coagido e votar em branco/nulo pelo partido libertário para invalidar as algemas da coação. Todos entenderão perfeitamente que subsidiar 16 partidos fascistas e mais 16 partidos comunistas não é escolha, que dirá democracia.

Essa opinião é baseada nas observações do Tradutoramericano
Meu outro blog é mais em inglês.

No comments:

Post a Comment