sábado, 24 de novembro de 2018

Meganhas assassinos da migra



Pois é. O garoto achava que seria um emprego de utilidade, mas acabou mudando de opinião sobre as leis dos partidos saqueadores e pediu demissão. Leia o artigo na Reason.

Outros meganhas da migra gostam de explorar as mocinhas indocumentadas. É comum a procuradoria exibir, em casos nos tribunais, os rostos desses guardinhas armados trazendo vítimas aos motéis fronteiriços para cobrar favores. E como nos EUA há leis medievais contra trabalhar no ramo sexual, há guardas que simplesmente matam as moças a queima-roupa e queima de arquivo. 



Este monstro, por exemplo, já matou pelo menos quatro meninas que a perícia até hoje conseguiu confirmar, pois o assassino confessou.  Leia a análise na revista libertária www.Reason.com 

Esse tipo de coisa sempre acontece na fronteira do proibicionismo místico com o contrabando oportunista organizado em cartéis pelas leis proibicionistas do país vizinho.  Assassinatos, desaparecimentos, tiroteios--e agora raptos de estupradores assassinos armados pelo governo--são as inevitáveis consequências na fronteira entre dois países controlados por cleptocracias que se amamentam na violência de leis crueis. O México finalmente está caindo na real e se desfazendo dessas leis formadoras de cartel e violência--depois de encher de retirantes de outros regimes fascistas. Já não basta a violência na América Latina sem importar mais agressão armada do Vaticano e do partido republicano dos EUA?

O partido Libertário no seu programa traduzido em português procura eliminar estas leis agressivas que transformam policiais em criminosos violentos.

Para traduções visite Speakwrite no Brasil ou Braziliantranslated nos EUA
Blog de Tradutor Libertário em inglês.