Monday, October 1, 2018

Programa dos nacionalsocialistas, 21 a 25


Medalha nazista dada às mães parideiras
Continuação do programa dos 25 Pontos do Partido Nacional Socialista Alemão


21. Cabe ao Estado melhorar a saúde pública mediante proteção das mães e filhos, prevenindo o trabalho juvenil; impondo programa de malhação tornando obrigatória a ginástica e o desporto, e ainda prestando apoio às organizações voltadas à educação física da juventude.

22. Pela abolição das tropas mercenárias e a criação de um exército popular.

23. Que sejam tomadas providências na lei contra a mentira política consciente e a sua propagação pela mídia.  E para possibilitar a criação de uma imprensa alemã, exortamos:

a. Que os editores e colaboradores de jornais em língua alemã sejam cidadãos alemães.

b. Que a difusão dos jornais estrangeiros dependa da autorização expressa.  Estes jornais não podem ser impressos em língua alemã.

c. Que proiba-se a participação financeira ou influência de não-alemães nos jornais alemães, sendo as editoras infratoras interditadas, e deportados os estrangeiros responsáveis. 

Que proíbam os jornais que ferirem o bem comum. Somos pela repressão das tendências nas artes e literatura que exercem influência subversiva na vida do nosso povo; e a interdição das reuniões ou das organizações que contrariem as medidas anteriores.

24. Exigimos a liberdade no território da União para todas as confissões religiosas, desde que não ameaçem o Estado e não ofendam os sentimentos morais e éticos da raça germânica. 

O Partido assim defende um cristianismo positivo, sem todavia se ligar a uma denominação específica.  Combate ao espírito judaico-materialista no país e no exterior e acredita piamente que a restauração duradoura do nosso povo não poderá acontecer senão começando internamente partindo do princípio:

ANTES O BEM COMUM QUE O BEM INDIVIDUAL.

25. Para concretizar esses ideais preconizamos o fortalecimento do poder central no Reich. Cabe ao parlamento central a autoridade absoluta sobre a totalidade do Reich e dos seus orgãos. 

A criação de câmaras voltadas às profissões e de órgãos encarregados da execução das leis básicas promulgadas pelo Reich.

Os dirigentes do Partido se comprometem a esforços constantes para a implementação dos pontos aqui enumerados, para tanto sacrificando, se necessário, a própria vida.

ANÁLISE: 
Os pontos 21 e 22 se traduziram em fomento à produção de jovens para os programas de Lebensborn e Hitlerjugend, e logo na formação de forças armadas. A violência da lei no ponto 23 é o que muitos conservadores religiosos e socialistas láicos ainda querem para calar a oposição. Só queriam alemães publicando na língua pátria, proibidas as traduções e deportados os tradutores--toda essa repressão e interdição, é claro, contra ameaças e ofensas à raça segundo padrões morais e éticos norteados pela proteção do bem comum (e não dos direitos da pessoa humana). 

Que moral e ética são essas? Cristianismo socialista, inclusive para exportação, e coletivismo altruísta tomando o lugar da pessoa individual vivendo a sua própria vida. No ponto 25, a ditadura que prometeram--promessa que cumpriram--teve autoridade absoluta lastreada na iniciação da força letal, e bota regulamentação das profissões nisso! O padrão altruísta de valor se repete na conclusão jurando o sacrifício da própria vida. Muitos dos autores daquele partido cumpriram essa promessa também. 
Os austríacos, donos de grande indústria química eram 91% católicos. Católicos e protestantes compunham 96% da população alemã segundo essa reportagem de 1938. O chanceler não foi eleito da noite pro dia. O programa do partido é de 1920 e o livro Mein Kampf de 1924. O candidato vivia cercado de pastores, bispos e cardeais e nas eleições--e partidos! 

Na época em que Hitler foi eleito concorriam 42 partidos! Ocorre que a Alemanha exportava drogas para os EUA e no caso do Manly Sullivan o Supremo liberou a cobrança do IR sobre ganhos ilícitos. Isso primeiro afetou os alemães, e em seguida, os Al Capones nas grandes cidades. 
O proibicionismo com IR Americano cortou o contrabando alemão
Mas se Hitler não foi católico protestante ou judeu, foi eleito por quem afinal? Onde já se viu 40% dos eleitores, sendo 96% do todo cristãos elegerem quem não fosse deles? Foi eleito pelos cristãos religiosos que se opunham ao comunismo ateu, sem nenhum liberalismo econômico na jogada. Todos foram socialistas, logo, direita é socialista cristão e esquerda socialista laico. 

Liberais e libertários nem aparecem na linha horizontal que começa no Stalin e extende até Hitler. Esse quadro da EsquerDireita linear e binária, aos olhos libertários, tem essa aparência, faltando uma linha vertical para quem não é nem quer ser socialista de nenhuma das três áreas! A linha horizontal não representa a realidade. Serve apenas para excluir a alternativa racional e pacífica. Ouça com atenção tudo o que a "esquerda" e a "direita" acusam mutuamente. Resta apenas o voto em branco ou pelo Partido Novo, que não utiliza dinheiro do governo. 
Para traduções orwellianas que analisam o texto, contexto e pano de fundo, procure pela Speakwrite. Também fazemos do espanhol para inglês e português.


Blog americano...